São todos iguais?

São Paulo - Apesar de defenderem majoritariamente o impeachment da presidente Dilma Rousseff, nem todos os manifestantes que tomaram a avenida Paulista neste domingo (13), em São Paulo, pensam da mesma maneira.

Alguns foram às ruas para demonstrar sua antipatia pelo PT e pedir a prisão do ex-presidente Lula. Outros queriam apenas manifestar sua admiração pelo juiz federal Sérgio Moro ou criticar a crise econômica pela qual passa o país.

Quando o assunto é a hipótese de intervenção militar, os manifestantes também se dividem. Enquanto a maior parte se coloca categoricamente contra e pede a saída de Dilma por vias democráticas, há uma minoria radical que defende a ação do Exército como necessária. As opiniões são, portanto, as mais diversas.

Para entender melhor quais foram os ingredientes que compuseram este caldeirão na Paulista hoje, EXAME.com entrevistou uma série de manifestantes. Confira o resultado navegando na galeria acima.

Tópicos: Impeachment, Protestos, Política no Brasil