São Paulo - A 24ª fase da operação Lava Jato, que tem entre seus alvos o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvajá repercute na mídia mundial.

A BBC, no Reino Unido, colocou a notícia em destaque na sua página inicial como “Busca na casa do ex-líder brasileiro Lula". O ex-presidente é descrito como uma "personalidade bem-vista", mas que sua popularidade foi atingida com as investigações recentes de corrupção.

BBC / Reprodução

Página da BBC sobre Lula

No jornal Clarín, da Argentina, a Lava Jato é mencionada como uma operação que investiga a “megafraude da Petrobras”. No texto, ele relaciona a operação com a acusação de Delcídio Amaral do envolvimento de Lula no esquema de corrupção da Petrobras.

Nos Estados Unidos, a condução coercitiva de Lula para depoimento na PF aparece no The New York TimesBusiness InsiderThe Guardian e na Bloomberg, que destaca o acontecimento como o “mais dramático” até agora na investigação.

Para o Financial Times, essa fase da Lava Jato é "a maior ameaça até agora ao frágil governo da protegida [de Lula], a presidente Dilma Rousseff". Porém o Wall Street Journal esclarece que, apesar disso, não foram feitas acusações contra o ex-presidente.

Bloomberg / Reprodução

Print Bloomberg Lula

Na Espanha, o El País chama a fase como “um marco” na investigação do caso Petrobras. Para o jornal, os efeitos da operação podem ser "catastróficos para o governo e para Lula, que tinha esperanças de ser candidato novamente à presidência em 2018".

A publicação também destaca a crescente pressão e o cerco contra o ex-presidente, lembrando da festa de aniversário do PT, em que o Lula teria expressado temores de uma quebra de sigilo bancário pela Justiça.

Texto atualizado às 10h08.

Tópicos: Bloomberg, Empresas, Estados Unidos, Países ricos, Presidente Lula, Luiz Inácio Lula da Silva, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Operação Lava Jato, The New York Times, Jornais, Wall Street Journal