Aguarde...

Manifestações | 21/06/2013 17:19

O que aconteceu com o Brasil?

As manifestações comprometem a imagem de um país que registrou redução da pobreza e crescimento econômico, ganhando destaque internacional

REUTERS/Gustavo Vara

Protestos contra a tarifa do transporte acontecem em Porto Alegre, em 17 de janeiro de 2013

"O povo acordou", "Mais dinheiro para a saúde e a educação", "Gratuidade para os ônibus", exigiam os manifestantes em todo o país

O que aconteceu com o Brasil? O país que, até há pouco tempo, era considerado um modelo de nação emergente, que planejava sua apoteose planetária com a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, vive uma explosão de ira de multidões nas ruas, que protestam contra a ineficiência e a corrupção dos políticos.

As manifestações comprometem a imagem de um país que registrou redução da pobreza e crescimento econômico, ganhando destaque internacional, fruto de uma euforia causada pela ascensão ao poder do ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003.

"Vivíamos um sonho, nos deixamos iludir com a ideia de que tudo estava melhorando e ia ficar ainda melhor. Pagamos impostos, e o que recebemos? Meus filhos vão à escola pública, a hospitais públicos e usam o transporte público que são todos um desastre", reclamava Mônica, moradora de Gama (30 km de Brasília), que estava ao lado de sua filha de 18 anos na manifestação diante do Congresso que na quinta-feira reuniu 35.000 pessoas.

Em todo o Brasil, mais de um milhão de manifestantes tomaram as ruas na noite de quinta, em uma avalanche de protestos iniciada há dez dias contra o aumento dos preços dos transportes públicos, e que evoluíram para um movimento de contestação geral à classe política. Os manifestantes se queixam, principalmente, de que os gastos milionários com a Copa das Confederações e com o Mundial de 2014 deveriam ser destinados à saúde e à educação.

"O povo acordou", "Mais dinheiro para a saúde e a educação", "Gratuidade para os ônibus", exigiam os manifestantes em todo o país.

"Há tanta coisa ruim que não cabe em um cartaz", indicava o cartaz exibido por uma jovem em Brasília.

Nos últimos dez anos, a renda dos brasileiros cresceu como nunca, o desemprego caiu a níveis históricos, as políticas sociais promoveram o ingresso de 40 milhões na classe média e, empurrado pelo crédito, o consumo avançou explosivamente. Nesse período, o país recebeu investimentos externos maciços e formou com China, Rússia, Índia e, mais tarde, África do Sul o grupo das principais economias emergentes, o Brics, que conseguiu abrir o G-8 para um G-20 de grandes potências.

Lula deixou o poder com 80% de popularidade e elegeu sua sucessora, Dilma Rousseff, que não tem o carisma de seu antecessor, mas que iniciou seu governo com uma popularidade recorde, com a imagem de uma dama de ferro intransigente com a corrupção. Mas sua imagem começou a ser afetada no mês passado após dois anos de inflação elevada e crescimento fraco.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados