São Paulo - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vai entregar o cargo à presidente Dilma Rousseff, de acordo com informações divulgadas nesta segunda pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Sob pressão, Cardozo se diz injustiçado com o posicionamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT sobre a atuação da Polícia Federal.

Lula reclamou das investigações da operação Lava Jato durante a festa de 36 anos do PT no último  sábado, inclusive afirmando que teria sido alvo de quebras de sigilos bancário, telefônico e fiscal. 

No bastidores, segundo o jornal, o ministro afirmou que o PT não entende seu papel quando critica a falta de controle sobre a PF.  

Cardozo teria dito também a pessoas próximas que a PF tem autonomia para fazer investigações e que a atuação dele é restrita a casos de violação de direitos.

Na semana passada, segundo o Estadão, 10 deputados procuraram o ministro para reclamar das denúncias contra Lula e pediram para que a PF concentrasse seus esforços nas investigações contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

José Eduardo Cardozo está no cargo desde o primeiro mandato de Dilma.

No ano passado, ele já havia manifestado a intenção de deixar o cargo, mas permaneceu no ministério a pedido da presidente.  

Texto atualizado às 8h00.

Tópicos: Presidente Lula, Luiz Inácio Lula da Silva, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Ministério da Justiça, Polícia Federal, Partidos políticos