São Paulo - A expansão dos negócios no Brasil e a demanda criada por grandes eventos esportivos deverão contribuir para o crescimento da infraestrutura hoteleira no país.

Uma pesquisa realizada pela consultoria Jones Lang LaSalle, especializada no setor imobiliário, estima que em dez anos o país deverá ganhar 192 700 quartos de hotéis considerados qualificados, ou seja, hospedagens que ficam em empreendimentos com ao menos 25 quartos disponíveis, sistemas de reservas online e que tenham ao menos duas estrelas. Atualmente, o país tem 270 500 quartos nessa categoria. O levantamento aponta que 5 200 unidades já estão em construção. 

A maior parcela dessa oferta de quartos, 42% do total estimado, se localiza em cidades com menos de 1 milhão de habitantes, mas que estão em crescimento em função das atividades da indústria ou da agroindústria e que demandam melhor infraestrutura hoteleira para dar suporte a essa expansão.

Segundo a Jones Lang LaSalle – que fez um levantamento similar no Peru, na Colômbia e no México –, as razões para o aumento do número de quartos estão ligadas também aos investimentos em infraestrutura em geral no país, às privatizações de aeroportos, portos e rodovias e às parcerias público-privadas. Esse ambiente acaba estimulando a demanda por mais quartos. 

Dos países pesquisados pela consultoria, o Brasil é o que possui o maior número de quartos em construção. Na Colômbia, 2 700 unidades estão nessa condição. No México, 4 300. E no Peru, 1 000. No entanto, a maior infraestrutura hoteleira qualificada da região está no México, que possui 314 600 quartos qualificados. 

Se considerada a oferta geral de quartos, que inclui pousadas e residências para hóspedes, a oferta total de quartos no Brasil sobe para 464 5000 quartos.

Tópicos: Hotéis, Infraestrutura, Mercado imobiliário