Rio de Janeiro – Após mais de dois meses de greve dos profissionais de educação, os estudantes da rede municipal de ensino voltaram às aulas na manhã de hoje (29).

Os professores municipais do Rio entraram em greve no dia 8 de agosto. O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) informou que a adesão da greve variou de 70% a 80% nas 1.075 escolas do município.

A auxiliar de serviços gerais Tatiana Alves, de 32 anos, disse que por causa da greve dos professores, os dois filhos ficavam com vizinhos quando saía para o trabalho. “Eu deixava meus filhos com os vizinhos para poder trabalhar. Às vezes, eu até conseguia levar [as crianças] para o meu serviço, mas era difícil. Eu ficava acompanhando a greve pela televisão, esperando acabar”.

Tatiana Alves acrescentou que o horário normal dos filhos nas escolas municipais, no centro da capital fluminense, é das 7h às 12h, mas eles terão aulas até as 16h como reforço escolar. “Esticaram as aulas dos meus filhos. Eles estão saindo mais tarde do colégio. Falaram que é por causa de um reforço escolar para um provão que o colégio vai fazer para dar as notas”.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) informou, em nota, que cada escola afetada pela greve decidirá como as reposições acontecerão.

Ainda segundo a SME poucas escolas deixaram os 674.312 alunos matriculados na rede sem aulas. “Poderão ser utilizados, além do contraturno, a semana prevista para o período de recesso do mês de dezembro de 2013, os sábados e os dias em que não estejam previstas atividades regulares nas unidades escolares, horários vagos na grade escolar e também o mês de janeiro de 2014”, diz a nota.

Tópicos: Educação no Brasil, Ensino público, Greves