São Paulo – A presidente Dilma Rousseff conseguiu bater o recorde antes pertencente ao seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2013, o governo federal gastou R$ 2,3 bilhões para a veiculação de material publicitário.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o valor é o mais alto já registrado desde 2000, quando os dados começaram a ser divulgados pela Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto.

O montante faz com que o governo ocupe a quarta colocação no ranking dos maiores anunciantes brasileiros em 2013, ficando atrás apenas de Unilever (R$ 4,6 bilhões), Casas Bahia (R$ 3,4 bilhões) e o laboratório Genomma (R$ 2,5 bilhões).

O valor é, inclusive, maior do que o investido pela gigante Ambev. Segundo o Ibope, a companhia do ramo de bebidas gastou R$ 1,8 bilhão no mesmo período.

De acordo com a Folha, os R$ 2,3 bilhões correspondem à toda gestão pública federal, incluindo as estatais. Quando são considerados somente os órgãos da administração direta do Planalto, o valor foi de R$ 761,4 milhões em 2013.

Mesmo esse número é considerado recorde, sendo o maior da última década e meia. A reportagem aponta que, de 2012 para 2013, os gastos subiram 7,2%, já descontada a inflação do período.

O veículo mais utilizado pelo governo ainda é a televisão, com 65% do total. No entanto, o crescimento dos investimentos na internet chamam atenção com R$ 139 milhões, 22% a mais que em 2012.

Ao jornal, a assessoria de imprensa da Secretaria de Comunicação justificou o aumento dizendo que "em 2013, o governo federal apresentou novas campanhas de utilidade pública voltadas à prevenção de acidentes de trânsito, de combate ao uso do crack e de lançamento do programa Mais Médicos"

Tópicos: Dilma Rousseff, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Governo Dilma, Publicidade