São Paulo - A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira, 1, que quer voltar à Bahia em breve para acompanhar as obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que, de acordo com ela, estão a todo vapor.

"Eu disse ao Jaques (Wagner, governador da Bahia, do PT) que eu pretendo vir à Bahia ver a Fiol. O olho do dono engorda o boi", disse Dilma, sobre a ferrovia que ligará Ilhéus, a 462 quilômetros de Salvador, e Figueirópolis, na região sul do Tocantins.

Na sequência, ela abordou o programa Mais Médicos, que, segundo a presidente, beneficiará mais a Bahia do que outros Estados por causa do tamanho da população baiana e das condições sociais do Nordeste. Dilma lembrou da chegada de 406 médicos do programa à Bahia e ressaltou a importância de se investir na questão social na região.

"Iniciamos aquilo que vai significar, até maio, a cobertura para 5 milhões de baianos e para pessoas que moram nas diferentes cidades", disse, referindo-se ao acesso da população ao médicos do projeto. "Temos de investir muito na questão social no Nordeste", afirmou.

Sobre o Bolsa Família, a presidente lembrou que a Bahia é um dos maiores beneficiários do programa e, para uma plateia formada por trabalhadores que construíram a Via Expressa, citou também o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Dilma afirmou que 5 milhões de brasileiros fizeram o Pronatec e que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se formou num curso técnico.

A presidente disse que o governo deve sempre criar condições para melhorar a qualificação dos trabalhadores. Dilma está na capital baiana, onde participa da inauguração da Via Expressa Baía de Todos os Santos. "Eu, de fato, tenho vindo muito aqui. Não pretendo deixar de vir", brincou, sobre as frequentes idas à capital.

Tópicos: Bahia, Dilma Rousseff, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Ferrovias, Setor de transporte, Transportes