São Paulo - O deputado federal e vice-presidente da Câmara André Vargas (PT) - que imitou o gesto de punhos cerrados feito pelos condenados no mensalão ao lado do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa - viajou em um avião emprestado do doleiro Alberto Youssef, preso pela Operação Lava a Jato da Polícia Federal.

Segundo documentos obtidos pelo jornal Folha de S. Paulo, que fazem parte da investigação que apura esquema de lavagem de dinheiro de cerca de R$ 10 bilhões, uma viagem para João Pessoa, na Paraíba, foi agendada por mensagens de celular. 

À Folha, o deputado disse que pediu o avião emprestado à Youssef - que conhece há mais de 20 anos - porque "os voos comerciais estavam muito caros", mas que pagou o combustível. 

"Eu não sabia com quem eu estava me relacionando. Não tenho nenhuma relação com os crimes que ele eventualmente cometeu", defendeu-se em entrevista ao jornal. 

Segundo a PF, Vargas e o doleiro tiveram uma conversa envolvendo o Ministério da Saúde. Não é possível identificar o assunto, mas o relatório indica que foi tratado com Carlos Gadelha, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do ministério.

"A reunião com Gadelha foi boa demais", diz Youssef em um dos trechos identificados pela Polícia Federal e publicados pela Folha. 

O Ministério da Saúde afirmou que Gadelha nunca recebeu o deputado e nem tratou com ele do contrato citado na investigação da PF. A empresa citada é a Labogen, que teria sido usada pelo doleiro para enviar ilegalmente ao exterior US$ 37 milhões.

Vargas também nega contato com Gadelha e diz que o doleiro o procurou para saber como funcionavam parcerias com o ministério.

Gesto

O vice-presidente da câmara ficou marcado pelo apoio aos condenados e presos no julgamento do mensalão. 

Em fevereiro, na sessão oficial de reabertura do Congresso, ele repetiu o gesto feito por José Dirceu e José Genoino quando se entregaram à Polícia Federal em novembro do ano passado.

De punho cerrado e erguido, o deputado provocou o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), que acompanhava a solenidade institucional sentado ao seu lado. 

Tópicos: Câmara dos Deputados, Política no Brasil, Mensalão, Polícia Federal