São Paulo - Bombinhas de escargot, pudins de lagosta, polvo ao molho de páprica e canapés de caviar. Esses itens não fazem parte do cardápio de um restaurante de alto padrão, e sim da enorme lista de um serviço contratado pelo governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), para abastecer a mesa de seu gabinete e da residência em eventos oficiais.

Sob a justificativa de atender às necessidades do Cerimonial do Gabinete, o governo assinou um contrato de R$ 3,44 milhões com a empresa Anita Serviços de Alimentos para a prestação de serviços de buffet e decoração. A decisão foi publicada no Diário Oficial do estado no dia 1º de agosto, e prevê que o valor seja gasto no período de um ano.

Em nota oficial, no entanto, o governo justifica que o prazo do contrato deve ser “aditivado até o período de quatro anos” e que não há a obrigatoriedade de pagamento do valor completo. “Os valores são pagos conforme a demanda e não existe um valor fixo/mínimo mensal”, diz a nota.

A empresa vencedora da nova licitação já recebeu em contrato anterior R$ 3,58 milhões do estado para prestação do mesmo serviço, valor referente às despesas no período de 2010 a julho de 2013.

Não é a primeira vez que Cid Gomes entra no radar político por gastos considerados excessivos. No início deste ano, ele foi alvo de críticas por pagar 650 mil reais por um show de Ivete Sangalo, na inauguração de um hospital em Sobral. Segundo o Ministério Público de Contas, o cachê recebido pela cantora em outras cidades era bem menor.

Puro luxo

Independentemente se o contrato será cumprido na íntegra ou não, o que chama a atenção no novo edital é o luxo presente nas especificações exigidas pelo governo para a contratação da empresa fornecedora.

Além do refinado cardápio já citado, o documento também lista a utilização de bandejas de prata e taças de cristal, além de decoração com arranjos de orquídeas e lírios.

Em relação à equipe, a quantidade é sufiente para promover verdadeiras festas de arromba: está prevista a contratação de mais de 1.400 profissionais entre garçons, chefes de cozinha e recepcionistas bilíngues. Isso sem contar os músicos. Sessenta instrumentistas seriam responsáveis por garantir a animação dos coquetéis e reuniões das autoridades.

Tópicos: Ceará, Gastronomia, Comida e bebida, Gestão pública, Governo, Luxo