Brasília - Os funcionários do Banco de Brasília (BRB) decidiram hoje (21), em assembleia, terminar a greve. As demais instituições financeiras públicas e privadas permanecem em paralisação, pelo quarto dia seguido.

Segundo o Sindicato dos Bancários do Distrito Federal, “o banco garantiu que não haverá punição, sob hipótese alguma, aos participantes da greve. Os dias não trabalhados seguirão o acordo que for firmado com a Fenaban [Federação Nacional de Bancos]”.

Com a aceitação da proposta feita pelo banco, os bancários voltam ao trabalho ainda na tarde de hoje.

Os bancários do BRB vão receber reajuste de 6,5% sobre todas as verbas salariais e os benefícios. O BRB também se comprometeu em seguir a Fenaban caso o reajuste definido para os bancários das demais instituições seja maior.

De acordo com o sindicato, está definido reajuste de 9% sobre piso da carreira de escriturário. Foi estabelecido piso de analista de tecnologia da informação em R$ 4,8 mil. Também será concedida licença paternidade de 10 dias úteis, entre outros benefícios.

Tópicos: Bancos, Finanças, Brasília, Cidades brasileiras, Greves