Rio de Janeiro - Um grupo de manifestantes faz neste momento um protesto em frente ao Fórum do Rio, no centro da cidade. Até o momento, a manifestação é pacífica, mas o prédio está cercado por dezenas de policiais militares, alguns deles usando escudos e capacetes.

Outro grupo de policiais foi posicionado em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), vizinha ao fórum.

O ato, chamado de Grito da Liberdade, foi organizado por mais de 50 movimentos sociais, em defesa do direito da sociedade em se manifestar e lutar contra os problemas do país. A ativista Marianna Olinguer disse que a manifestação é contra as arbitrariedades que ocorrem em todo o Brasil.

"Diariamente vemos casos de execução sumária, que acontecem não só nas ruas, como nas favelas. Não apenas por isso estamos aqui, mas também pela situação de calamidade em que a saúde pública e a educação se encontram, além dos altos gastos para a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Lutamos também pela desmilitarização da polícia, porque eles também são oprimidos, não podendo entrar em greve e lutar por condições melhores", disse.

Caixas pretas foram colocadas em frente ao prédio do tribunal com fotos do prefeito Eduardo Paes e do governador Sérgio Cabral, simbolizando a necessidade de investigações profundas sobre os governos municipal e estadual. Há pouco, os manifestantes bloquearam o trânsito na Avenida Presidente Antonio Carlos.

Os participantes do ato seguirão em passeata até a Candelária e a manifestação finalizará nos Arcos da Lapa, com apresentações artísticas.

Tópicos: Protestos, Protestos no Brasil, Rio de Janeiro, Cidades brasileiras, Metrópoles globais