Rio de Janeiro - Na véspera do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), estudantes da rede estadual de ensino retomaram hoje (25) as atividades integrais nas unidades de educação após o término da greve dos profissionais de educação, decidida ontem em assembleia. A votação ocorreu depois de mais de quatro horas de reunião. Os estudantes estão confiantes em participar do certame, apesar da paralisação, iniciada em 8 de agosto.

Alunos do Colégio Estadual Souza Aguiar, na região central da capital fluminense, disseram que, mesmo em desvantagem em relação aos estudantes do ensino privado, a expectativa é fazer uma boa prova para ingressar na universidade ano que vem.

"Os alunos de colégio particular fazem simulados e provas toda semana, sabemos que eles estão sendo muito bem preparados para isso. Acho que estamos um pouco em desvantagem, mas nossos professores nos deram muitas dicas e intensificaram os exercícios nessa reta final e nós aproveitamos muito bem", disse o estudante André Almeida, de 17 anos.

A estudante Tainá Matos, de 17 anos, disse estar preparada para a prova, mesmo tendo ficado o período da greve sem aulas de disciplinas importantes, como Matemática, Geografia e História.

"Eu procurei estudar bastante durante esse tempo em que ficamos sem essas aulas. Minha expectativa é conseguir fazer uma boa prova", disse.

De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe), a adesão dos professores do estado à greve alcançou aproximadamente 80%, mas a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) diz que a paralisação foi 7%. Para repor o conteúdo pedagógico perdido, a Seeduc informou que haverá aulas aos sábados e após o horário de aula normal, nos dias de semana. Em princípio, a reposição de conteúdos e dias letivos vai até janeiro de 2014.

Na página da Seeduc na internet, o secretário Wilson Risolia agradeceu aos professores pelo retorno às aulas. Segundo ele, a decisão beneficiará os cerca de 75 mil alunos matriculados na rede estadual de ensino. Risolia também destacou os docentes que continuaram suas atividades durante o período de greve.

“Vamos trabalhar muito para que os estudantes tenham as aulas repostas. Estamos em um momento crucial para a educação no estado, quando avanços têm sido obtidos e precisamos seguir nesse caminho”, disse o secretário.

Tópicos: Educação, Enem, Educação no Brasil, MEC, Ensino público, Universidades, Ensino superior