São Paulo – “Vocês (ingleses) não gostam do Taleban. A sociedade brasileira não gosta de homossexual”. Essa é uma das associações feitas pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) em um documentário inglês exibido pela rede BBC na semana passada. Em Out There, o ator e apresentador britânico Stephen Fry, assumidamente gay, viaja por vários países para entender as causas da homofobia no mundo (veja trecho abaixo).

No episódio da semana passada, o programa – que afirma entrevistar “os mais notórios homofóbicos do planeta” - mostrou o Brasil. E elegeu Bolsonaro para tal papel.

“Não existe homofobia no Brasil. Noventa por cento dos homossexuais que morrem, morrem em locais de consumo de drogas, de prostituição ou executados pelos próprios parceiros”, afirmou o deputado federal ao artista britânico, que disse ter tido ali um dos encontros mais “sinistros” de sua vida.

Antes de visitar o Brasil, Fry passou pela Uganda, país onde um projeto de lei quer punir com pena de morte a homossexualidade. O apresentador rebateu o deputado em vários momentos.

“É interessante você usar a palavra normal. Existem 480 espécies de animais que exibem comportamento homossexual, mas apenas uma espécie na Terra exibe comportamento homofóbico”, disse a Bolsonaro.

Apesar do clima de questionamentos, o deputado do Rio de Janeiro fez brincadeiras com o apresentador. “Estamos pensando em fazer passeatas do orgulho hetero. Você não será convidado”, afirmou, entre risos.

Antes de falar com Bolsonaro, o documentarista conversou com a mãe de Alexandre Ivo, garoto de 14 anos que foi assassinado no Rio por skinheads no ano passado.

Veja abaixo:

Tópicos: BBC, Empresas, Gays, Preconceitos, LGBT, Política no Brasil