São Paulo – No que se refere aos moradores de São Paulo, a moral dos black blocs está em baixa. Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo mostra que 95% dos paulistanos desaprovam a atuação do grupo, que tem agido com certa regularidade em manifestações de todo tipo, principalmente na capital paulista e no Rio de Janeiro.

De inspiração anarquista, os black blocs defendem como forma de protesto a destruição de bens públicos e privados.

A pesquisa do Datafolha foi feita na última sexta-feira, no mesmo dia em que o coronel da Polícia Militar Reynaldo Simões Rossi foi filmado sendo acuado e agredido por um grupo no centro de São Paulo.

A desaprovação aos black blocs aumenta com a idade, mostra o levantamento. Na faixa etária de 16 a 24 anos, 11% apoiam e 87% não apoiam o grupo. Entre 45 e 59 anos, 1% apoia e 98% não.

Reviravolta na opinião pública
Comparado ao grande apoio que as manifestações de junho ganharam da sociedade brasileira, a pesquisa revela que esta aprovação tem sido minada à medida que os protestos chamam mais atenção pelas depredações do que qualquer outra coisa.

No final de junho, 89% dos moradores de São Paulo apoiavam os protestos. Em meados de setembro, esse número baixou para 76%. Hoje, está em 66%.

Sobre a forma de agir do grupo, 3 em cada 4 entrevistados disseram ser mais violenta do que deveria.

A pesquisa foi feita com 690 pessoas. A margem de erro é de quatro pontos percentuais.

Tópicos: Black Blocs, Datafolha, Pesquisas, Protestos, Protestos no Brasil, São Paulo, Cidades brasileiras, Metrópoles globais, Violência urbana