É hora da virada

São Paulo - Um estudo já antigo dos economistas Ricardo Paes de Barros e Lauro Ramos estimava que, se todos os brasileiros tivessem o mesmo nível educacional, a desigualdade de renda seria até 50% menor no país.

De meados dos anos 90 – quando foi realizada a pesquisa – para cá, o país se tornou a sexta maior economia do mundo e ganhou relevância política, mas a educação parece ter ficado patinando no caminho.

Ainda fazemos feio em avaliações internacionais e só conseguimos fazer com que 1 em cada 10 estudantes terminem o ensino fundamental sabendo o que deveriam em matemática.

Para tentar jogar luz sobre o abismo educacional brasileiro, EXAME.com selecionou 45 soluções, das pequenas às grandes, para melhorar a educação no Brasil, a chave para um país mais competitivo.  

Não há soluções mirabolantes para a educação. Disse à EXAME.com o professor da Universidade de Stanford e especialista em educação internacional comparada, Martin Carnoy: “ninguém encontrou uma melhor maneira de fazer as crianças aprenderem do que colocando bons professores ensinando na frente delas”.

É hora de o Brasil fazer a (dura) lição de casa.

Tópicos: Dados de Brasil, América Latina, Educação, Educação no Brasil, Setores, Setor de educação