No Rio, operação contra tráfico deixa 600 alunos sem aulas

A ação foi desenvolvida a partir de informações do Bope e teve buscava cessar a instabilidade nas comunidades da região de Jacarepaguá

Rio de Janeiro – Policiais militares do Comando de Operações Especiais, fizeram hoje (19), com apoio das unidades de Irajá e Jacarepaguá, nova operação coordenada nas comunidades da Covanca e de São José Operário, no bairro da Praça Seca, zona oeste do Rio.

A ação deixou mais de 600 alunos sem aulas na região, informou a Secretaria Municipal de Educação (SME).

De acordo com a Polícia Militar, a ação foi desenvolvida a partir de informações recebidas pela Inteligência do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que teve como objetivo cessar a instabilidade nas comunidades da região de Jacarepaguá, causada pelos recentes confrontos entre criminosos oriundos da Covanca.

A entrada dos policiais na área ocorreu por volta das 5h da madrugada, quando foram apreendidos três fuzis, 10 carregadores de fuzil, munições para armas automáticas, pinos de cocaína, trouxinhas de maconha, 1 tablete de maconha prensada, 47 comprimidos de ecstasy, 195 papelotes de cocaína, 2 rádios transmissores e 15 cadernos de anotação com a movimentação do tráfico.

A instabilidade citada pela PM teve mais um episódio na noite de ontem (18), após uma ocorrência na Rua Florianópolis, na Praça Seca. Militares do 9° Batalhão da PM foram acionados e, chegando ao local, encontraram uma pessoa morta.

Os policiais foram informados que uma segunda vítima foi socorrida para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. A Delegacia de Homicídios assumiu a ocorrência.

Sobre a pausa forçada nas aulas, a Secretaria Municipal de Educação informou que, de acordo com a 7ª Coordenadoria Regional de Educação, uma escola e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) estão sem atendimento hoje, na região do morro São José Operário/Praça Seca.

A secretaria informa ainda que as unidades escolares atendem a 636 alunos em tempo integral.