MP pode denunciar Eduardo Cunha por corrupção na Petrobras

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai pedir abertura de inquérito no STF contra o líder do PMDB na Câmara. Eduardo Cunha é suspeito de envolvimento em esquema de corrupção da Petrobras

São Paulo – O Ministério Público Federal vai pedir que o STF (Supremo Tribunal Federal) investigue se o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) está envolvido no esquema de corrupção da Petrobras.

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, Cunha é suspeito de ter recebido dinheiro por meio do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, que seria um dos funcionários do doleiro Alberto Youssef.

O deputado, que é o favorito na disputa pela presidência da Câmara, foi citado na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Ele, no entanto, nega qualquer envolvimento.

De acordo com o jornal, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai apresentar denúncia contra os envolvidos no esquema que têm foro priveligiado e devem ser julgados pelo STF. Isso deve acontecer no início de fevereiro,  quando o Supremo volta ao trabalho.

Após Janot fazer o pedido de abertura de inquérito, o ministro Teori Zavascki – que é o relator da Lava Jato no STF – poderá aceitar ou não o início das investigações contra Cunha e outros suspeitos.

Se aceitar – o que é de praxe -, as investigações podem culminar em um julgamento do deputado federal. 

O deputado, contudo, nega envolvimento com o escândalo. Em sua conta no Twitter, ele afirmou que o vazamento da denúncia seria motivado por interesse político em um momento em que ele disputa a presidência da Câmara. 

Disputa

Cunha é o líder do PMDB na Câmara e disputa a presidência da Casa para o próximo biênio. O governo, contudo, não apoia a candidatura por considerar o deputado um adversário político. No ano passado, Cunha comandou a revolta da base aliada por mais participação no governo.

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, o governo estaria tentando negociar a disputa com o líder do PMDB na Câmara. O jornal afirma que na semana passada Aloizio Mercadante, ministro-chefe da Casa Civil, e Ricardo Berzoini, ministro das Comunicações teriam proposto um acordo para manter o rodízio entre PT e PMDB no comando da Casa. Arlindo Chinaglia (PT-SP) é o candidato do governo. 

A eleição para a presidência da Câmara acontece no dia 2 de fevereiro. 

Veja como funcionava o esquema de corrupção na Petrobras, segundo as investigações do Ministério Público até agora