Meirelles diz que teve conversa abrangente com Cármen Lúcia

Segundo ele, intuito é "dar ao STF o maior número de possível de informações para que eles decidam sobre processos que envolvam a União"

Brasília – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quarta-feira, 4 após reunião com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, que entregou ao STF o maior volume de informações possíveis para que a Corte possa analisar os processos que envolvem o Tesouro Nacional, a União e os estados.

“Tivemos uma conversa abrangente com a presidente do Supremo visando dar ao STF o maior número de possível de informações e esclarecimentos para que eles decidam sobre processos que envolvam a União. Esse é o início de um processo para que essas informações sejam disponíveis”, disse Meirelles.

O ministro da Fazenda evitou comentários sobre ações do governo do Rio de Janeiro para o desbloqueio de recursos financeiros e também não mencionou valores envolvidos em todos os processos que envolvem o Tesouro e a União no STF.

Na terça, a ministra Cármen Lúcia concedeu uma liminar para evitar o bloqueio de R$ 193 milhões nas contas do governo do Estado do Rio.

Logo após a decisão do STF, o Executivo fluminense pediu que a decisão da ministra seja estendida para evitar novo bloqueio de R$ 181 milhões programado para a quinta-feira, 5.

Também na quarta a secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi, pediu à área técnica do órgão um levantamento sobre o impacto da decisão do STF, que suspendeu o bloqueio de recursos do Rio.