Megaoperação prende 2.616 pessoas no Estado

Foram cumpridos 701 mandados de prisão criminal, mas também houve prisões por mandados administrativos e outros 758 foram presos em flagrante

São Paulo – Numa tentativa de conseguir derrubar as taxas de crimes contra o patrimônio, que vêm crescendo mensalmente ao longo deste ano, a Polícia Civil desencadeou na quinta-feira (7) uma megaoperação que resultou em 2.616 presos.

Segundo o delegado-geral Maurício Blazeck, a estratégia da polícia foi cumprir de uma vez diversos mandados de prisão espalhados pelas delegacias territoriais e das especializadas da Grande São Paulo e interior que acusavam envolvidos com roubo e crime organizado. “Foi a quinta megaoperação do ano, e outras vão ocorrer”, disse o delegado-geral.

Foram cumpridos 701 mandados de prisão criminal, mas também houve prisões por mandados administrativos e outros 758 foram presos em flagrante. Também foram apreendidos 326 adolescentes. Apesar do foco no crime contra o patrimônio, a polícia conseguiu recolher 192 quilos de drogas e 107 armas. Participaram da operação 6.975 homens e 2.578 carros em todo o Estado.

Nos primeiros nove meses deste ano, enquanto os homicídios em São Paulo seguiram tendência de queda, o roubo cresceu 7,8% na capital e 9,9% no Estado em relação ao mesmo período do ano passado.

Em setembro, tanto no Estado quanto na cidade de São Paulo a alta foi de 17%. Tendência semelhante é observada no caso de roubo de carros. Aumentou 9,9% em relação ao ano passado e 24,3% quando comparado com 2011.

As consequências são constatadas nos casos de latrocínio, que cresceram 27,4% nos primeiros meses do ano, uma das principais preocupações do governo. A Secretaria da Segurança avalia que cerca da metade dos casos de latrocínio está ligada a roubos de carros. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.