Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Manifestação em Ribeirão Preto reúne cerca de 5 mil

Os organizadores avaliam que 5 mil pessoas transitaram pelo Parque Luís Carlos Raya, um dos mais movimentados do município aos domingos.

Ribeirão Preto – A manifestação convocada pelo movimento Brasil Limpo, de Ribeirão Preto (SP), teve como principal foco as mudanças feitas na Câmara dos Deputados ao projeto das 10 Medidas contra a Corrupção e contou com a participação de membros do Judiciário e de políticos eleitos.

Os organizadores avaliam que 5 mil pessoas transitaram pelo Parque Luís Carlos Raya, um dos mais movimentados do município aos domingos, durante as mais de duas horas do protesto.

“A avaliação é muito positiva, pois tivemos os discursos de 15 autoridades, entre elas três juízes, quatro membros do Ministério Público e dois delegados”, disse Marcos Spinola, líder do movimento.

“A mudança do local da manifestação (antes feita no centro da cidade) foi estratégica para fazer algo mais demorado, com local fixo e dar a oportunidade para que todas as autoridades do Judiciário pudessem dar a resposta ao Congresso”, completou o organizador.

Entre os políticos presentes estavam o vice-prefeito eleito Carlos Cezar Barbosa (PPS), promotor de Justiça licenciado do Estado, e os vereadores eleitos Boni (Rede), Fabiano Guimarães (DEM), além da presidente da Câmara Municipal e também vereadora reeleita, Glaucia Berenice (PSDB).

Prefeita

A prefeita afastada de Ribeirão Preto, Dárcy Vera (PSD), presa na última sexta-feira (2), também foi “lembrada” no protesto, mas apenas por meio de placas e cartazes. Nos discursos, apesar do apoio dado à Polícia Federal (PF) e ao Ministério Público, responsáveis pela prisão da prefeita, ela não foi citada nominalmente.

“Apoiamos a ação aqui e tentamos focar na questão Brasil. Seguimos mobilizados e esperamos que eles não nos provoquem mais”, concluiu Spinola se referindo à possibilidade de o Senado votar o projeto aprovado pela Câmara que desfigurou a proposta do Ministério Público.