Lista sigilosa de Fachin inclui Lula e Eduardo Cunha

Segundo o Estadão, a lista de investigados que permanece em segredo por decisão de Fachin inclui outros nomes políticos

São Paulo – Luiz Inácio Lula da Silva e Eduardo Cunha, entre outros nomes do PT e do PMDB, integram as 25 petições feitas pela PGR que permanecem em segredo por decisão do ministro Edson Fachin, do STF.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, que conseguiu acesso aos documentos, os pedidos de investigação citam, além de Lula e Cunha, o ex-ministro Antonio Palocci, o senador Edison Lobão (PMDB) e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB), entre outros.

Há relatos de pagamentos de vantagens indevidas em nove campanhas eleitorais, num total de R$ 17,43 milhões, de acordo com o jornal, além de outras irregularidades.

Os casos correm em segredo porque o STF acredita que a divulgação pode atrapalhar o andamento das investigações.

Lula é citado pela sua atuação nas operações da Odebrecht em Cuba, no Porto de Mariel, e em Angola, no contrato firmado com a Exergia.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luigy Sevach Sevach

    Se as investigações forem a fundo, tem muita coisa pra aparecer, ainda tem Argentina, Venezuela de maduro, a Bolívia de Evo Morales e muito mais…