Dólar R$ 3,28 0,12%
Euro R$ 3,67 0,13%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -0,05% 63.227 pts
Pontos 63.227
Variação -0,05%
Maior Alta 22,54% JBSS3
Maior Baixa -4,09% CYRE3
Última atualização 25/05/2017 - 17:21 FONTE

Lista de Janot também inclui cinco governadores, diz TV

Janot encaminhou na terça ao STF 83 pedidos de abertura de inquérito baseados nas delações da Odebrecht. Desses, 38 nomes já eram conhecidos

São Paulo – Junto com os presidentes da Câmara e do Senado e mais cinco ministros do governo Temer, os pedidos de abertura de inquérito da Procuradoria-Geral da República podem conter os nomes de mais cinco governadores em exercício e de outro ministro.

Na terça-feira, 14, o procurador-geral da República Rodrigo Janot encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) 83 pedidos de abertura de inquérito, baseados nos acordos de delação premiada de 77 executivos da Odebrecht com a Operação Lava Jato. Desses, 38 nomes já eram conhecidos (veja abaixo). 

Segundo reportagem do Jornal Nacional, da Globo, nesta quarta-feira, 15, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB-RJ), também está na “lista de Janot”. Assim como os governadores de Alagoas, Renan Filho (PMDB), do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), do Acre, Tião Viana (PT), e do Paraná, Beto Richa (PSDB).

O noticiário também revelou os nomes de mais nove parlamentares citados nos pedidos de investigação. São os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Jorge Viana (PT-AC), Marta Suplicy (PMDB-SP) e Lédice da Mata (PSB-BA); e os deputados Marco Maia (PT-RS), Andres Sanchez (PT-SP), Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), José Carlos Aleluia (DEM-BA) e Paes Landim (PTB-PI).

O relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, deve decidir se instaura ou não as investigações nos próximos dias.

Veja os  38 nomes da “Lista de Janot” conhecidos até agora:

Governadores:

Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio de Janeiro;

Fernando Pimentel (PT), de Minas Gerais;

Beto Richa (PSDB), do Paraná;

Tião Viana (PT), do Acre;

Renan Filho (PMDB), de Alagoas.

Ministros do governo Temer:

Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil;

Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência;

Gilberto Kassab (PSD), das Comunicações;

Bruno Araújo (PSDB), das Cidades;

Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), das Relações Exteriores;

Marcos Pereira (PRB), da Indústria e Comércio.

Senadores:

Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado;

Romero Jucá (PMDB-RR);

Renan Calheiros (PMDB-AL);

Edison Lobão (PMDB-MA);

Marta Suplicy (PMDB-SP);

Aécio Neves (PSDB-MG);

José Serra (PSDB-SP);

Lindbergh Farias (PT-RJ);

Jorge Viana (PT-AC);

Lídice da Mata (PSB-BA).

Deputados federais:

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara;

Marco Maia (PT-RS);

Andrés Sanchez (PT-SP);

Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA);

José Carlos Aleluia (DEM-BA);

Paes Landim (PTB-PI).

Políticos sem foro privilegiado:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ex-presidente;

Dilma Rousseff (PT), ex-presidente;

Antonio Palocci (PT), ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil;

Guido Mantega (PT), ex-ministro da Fazenda;

Geddel Vieira Lima (PMDB), ex-ministro da Secretaria de Governo;

Sérgio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio de Janeiro;

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-deputado federal;

Duarte Nogueira (PSDB), prefeito de Ribeirão Preto (SP);

Edinho Silva (PT), prefeito de Araraquara (SP);

Paulo Skaf (PMDB), presidente da Fiesp;

Anderson Dornelles, ex-assessor de Dilma Rousseff.