Líder de acampamento sem-terra onde ocorreu chacina é assassinado

Rosenildo Pereira de Almeida, conhecido como 'Negão', de 44 anos, foi morto a tiros na cidade de Rio Maria, no Pará

São Paulo – Um dos líderes do acampamento onde dez trabalhadores sem-terra foram mortos no final de maio, no sudeste do Pará, foi assassinado na noite dessa sexta-feira, 7. Rosenildo Pereira de Almeida, conhecido como ‘Negão’, de 44 anos, foi morto a tiros na cidade de Rio Maria, a 60 quilômetros de Pau D’Arco, onde aconteceu a chacina. O caso foi denunciado pela ONG Justiça Global, que monitora os conflitos rurais na região.

Segundo a entidade, Almeida havia deixado no mesmo dia a área rural onde morava, ocupada por antigos moradores da Santa Lúcia, para fugir de ameaças. Ele teria sido executado com tiros na cabeça ao sair de uma igreja.

A Polícia Federal (PF) confirmou o homicídio, mas disse não poder associar o caso com a chacina até o momento. Policiais foram deslocados neste sábado, 8, para a área do crime, onde a falta de sinal de telefonia prejudica a atualização sobre a investigação. A reportagem também tentou contato com as polícias Militar e Civil e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Pará, que não atenderam ligações.

Em nota, a Justiça Global acusa o governo de omissão em relação à chacina em Pau D’Arco e destaca o poder dos fazendeiros paraenses. O governo do Estado afastou 29 policiais acusados de envolvimento no crime, mas ninguém foi preso até o momento.

O caso agora é investigado pela PF. A Polícia Militar diz que os agentes foram recebidos a tiros na fazenda ao cumprirem uma ordem judicial de reintegração de posse. Já os posseiros afirmam que os PMs chegaram ao local atirando.

O Comitê Brasileiro de Defensoras e Defensores de Direitos Humanos também se manifestou cobrando medidas efetivas para garantir a segurança dos sem-terra no Pará. De 408 casos de conflitos por terras registrados em 2016 no Estado, 61 tiveram vítimas e apenas 15 tiveram julgamento até agora, segundo levantamento divulgado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s