Liberação de bebida em estádios da Copa será discutida

O ministro do Esporte, Orlando Silva, reconheceu que a questão é um pedido da Fifa ao governo federal e que existe a possibilidade de que a proibição

São Paulo – O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse hoje que vai procurar o Ministério Público (MP) para discutir a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa do Mundo de 2014. Ele reconheceu que a questão é um pedido da Fifa ao governo federal e que existe a possibilidade de que a proibição, prevista no Estatuto do Torcedor, pode ser suspensa durante a realização do evento no Brasil.

“Não vamos decidir sobre esse tema sem ouvir o Ministério Público, que propôs a lei que restringe o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios”, afirmou o ministro, durante cerimônia de assinatura de termo de ajustamento de conduta (TAC) que prevê a criação, pelo MP de São Paulo, de um cadastro de integrantes de torcidas organizadas do Estado. “A Fifa pautou este tema e estamos avaliando a conveniência e a oportunidade de manter ou suspender a regra de consumo de bebida alcoólica”.

A decisão sobre o consumo deve fazer parte do anteprojeto da Lei Geral da Copa, em estudo no governo federal. O ministro informou que a proposta deve ser encaminhada ao Congresso Nacional no início de agosto. Silva ressaltou que a liberação do consumo de bebidas ainda está em discussão no governo federal. “A Fifa levantou uma série de demandas. Acredito que vamos encontrar um ponto de equilíbrio”.

“A proposta da Lei Geral da Copa ainda não foi encaminhada ao Congresso e vamos discuti-la com a sociedade”, disse. O ministro lembrou que a Copa é um evento internacional e em muitos países é permitido o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios.

Abertura

Silva lembrou que representantes da Fifa visitarão o Brasil na semana que vem e disse esperar que anunciem a cidade que sediará a abertura da Copa do Mundo. Nesta semana, o ministro enviou ao presidente do Comitê Local Organizador e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, pedido para que o anúncio seja antecipado da data prevista, que é outubro. São Paulo é a principal candidata. “Representantes da Fifa devem chegar ao Brasil e espero que eles decidam na próxima semana onde será abertura da Copa”.