JBS cai 9%; PIB 2016: 1,3%…

Bolsa cautelosa

O Ibovespa, que começou o dia operando em alta com liquidez reduzida frente ao feriado nos Estados Unidos, terminou em queda de 0,08% puxada pela JBS, que despencou 9%. Altas como do grupo de aviação Gol ou da Petrobras não foram suficientes para puxar o índice. A Gol encerrou o dia com alta de 4,65% após fechar um acordo com a prestadora de serviços de aviação Gecas, que prevê o leasing de 12 aeronaves. Já a Petrobras, que teve alta de 2,75% nas ações ordinárias chegando ao maior valor dos papéis desde outubro de 2014, foi impulsionada pelo aumento do preço do petróleo no mercado internacional e pelo interesse da Cosan em adquirir ativos da empresa.

JBS atolada

As ações do frigorífico JBS desabaram 10% após Wesley Batista, um dos donos da J&F, holding que controla a JBS, ter sido conduzido coercitivamente pela Polícia Federal para prestar depoimento no âmbito da operação Greenfield, deflagrada nesta segunda-feira. Foi a maior queda do dia do Ibovespa. Wesley e seu irmão, Joesley, tiveram seu afastamento do cargo solicitado pela PF. Por estar no exterior, Joesley não depôs. A operação Greenfield investiga desvios no valor de 50 bilhões de reais em fundos de pensão. Dois deles, Petros e Funcef, são sócios da empresa de celulose Eldorado, do grupo J&F.

Oi dispara 23%

As ações preferenciais da Oi fecharam o dia em alta de 23,5%, depois de os principais acionistas da companhia estarem mais próximos de fechar um acordo de recuperação judicial, segundo a agência Bloomberg. O acordo deve refletir um plano de gestão compartilhada da empresa e deve ser incluído nos acordos de renegociação de dívidas, que devem ser apresentados ainda hoje.

Diretoria nova

O Tesouro Nacional aprovou a criação de uma nova diretoria interna, a Diretoria de Riscos, Controles e Conformidade, para decidir sobre operações arriscadas, que podem levar ao aumento da dívida pública ou à deterioração das contas do governo. A criação do comitê foi uma recomendação do Tribunal de Contas da União. A nova diretoria será comandada pelo auditor da Controladoria-Geral da União, Claudenir Brito Pereira, e estará diretamente vinculada ao gabinete da secretária do Tesouro, Ana Paula Vescovi.

Mercado otimista

As expectativas de melhora do crescimento econômico e da inflação para 2017 voltaram a melhorar segundo Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira. A projeção do IPCA em 2017 caiu de 5,14% para 5,12%, enquanto que a estimativa de crescimento do PIB saiu de 1,23% para 1,3%. É a terceira revisão seguida para cima do PIB e a décima queda consecutiva da previsão de inflação. A projeção da taxa básica de juros (Selic) ficou em 13,75% em 2016 e caiu de 11,25% para 11% ao final de 2017.

Per capita ainda menor

O PIB per capita brasileiro caiu 9,7% entre o 2º trimestre de 2014 e o 2º trimestre deste ano, segundo cálculos do banco Goldman Sachs. É o pior desempenho em um século, ficando apenas atrás dos dois anos entre 1981 e 1983, quando o produto per capita caiu 12,4%. Com a população brasileira crescendo 0,8% ao ano, o PIB tem que crescer ao menos essa taxa em 2017 para se manter estável na distribuição populacional.