Itaú e Citi; Moro e Lula…

Itaú e Citi

O Itaú Unibanco está perto de fechar a compra das operações de varejo do Citi no Brasil, informa o jornal Valor. A proposta foi superior à apresentada pelo banco espanhol Santander, o que deu ao Itaú o direito de negociar com exclusividade. O Santander obteve exclusividade para negociar a operação argentina, enquanto o canadense Scotiabank está no páreo na Colômbia.

Moro aceita denúncia 

O juiz Sergio Moro aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Agora Lula se torna réu por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele teria recebido vantagens financeiras da empreiteira OAS na forma de um tríplex no Guarujá e de pagamento do aluguel de contêineres que receberam seus pertences, num valor total de mais 3,7 milhões de reais. Além de Lula, passam à condição de réus a ex-primeira-dama Marisa Letícia e o amigo do petista e presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Lula já é réu no Supremo Tribunal Federal por obstrução de Justiça.

Temer na ONU

O presidente Michel Temer fez o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU em Nova York. Ele defendeu o processo de impeachment e disse que agora o Brasil precisa de responsabilidade fiscal para retomar o crescimento. O presidente também falou sobre o papel brasileiro como mediador de crises internacionais e aproveitou para pedir uma vaga no Conselho de Segurança da instituição, a instância mais alta da ONU. Durante o discurso de Temer, delegações de países latino-americanos, como Venezuela e Equador, retiraram-se do auditório.

Petro anima

A Petrobras animou investidores nesta terça-feira após a divulgação de seu plano para o período 2017-2021. A companhia anunciou que os investimentos devem diminuir 25% no período, prevendo gastar 74,1 bilhões de dólares. O plano prevê arrecadar 19,5 bilhões de dólares nos próximos dois anos com a venda de ativos. No biênio de 2015-2016, o intuito era arrecadar cerca de 15 bilhões de dólares, mas apenas 4,6 bilhões foram vendidos — está em andamento uma operação de venda da rede de gasodutos para a Brookfield por 5,2 bilhões de dólares. A Petrobras planeja antecipar para 2018 a meta da redução de alavancagem para 2,5 vezes, valor considerado ideal por agências avaliadoras. As ações preferenciais fecharam em alta de 3,52%.

A Síria no foco 

O presidente da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, fez um pronunciamento acusando o governo do presidente sírio, Bashar al Assad, de “matar inocentes” e de “torturar sistematicamente milhares de detidos”. Em seu discurso na 71a Assembleia-Geral da ONU, o diplomata sul-coreano defendeu a necessidade de uma “transição política” na Síria e criticou os países que ajudaram o regime de Assad. Para o presidente americano Barack Obama, conflitos sectários como os da Síria fizeram a integração mundial retroceder. Em seu último discurso como presidente americano, Obama afirmou que os países devem “trabalhar juntos” para superar os desafios da economia mundial e levar os benefícios da globalização a todos. O democrata também reafirmou compromissos a favor do meio-ambiente e do desarmamento nuclear.

Ataques de NY: alerta há dois anos

O pai do afegão Ahmad Khan Rahami, suspeito de praticar dois atentados a bomba em Nova York e Nova Jersey no sábado 17, já havia informado à polícia, há dois anos, que suspeitava que seu filho tivesse tendências terroristas. Na época, Ahmad havia esfaqueado o irmão numa briga. Segundo o pai, o jovem de 28 anos se radicalizara depois de visitar o Paquistão, mas o FBI não chegou a investigar a fundo as acusações. Ahmad, que tem duas passagens pela polícia, foi preso na segunda-feira 19 e está internado em estado grave, porém estável. As autoridades afirmam que não há relação entre os ataques em Nova York e o esfaqueamento de nove pessoas num shopping de Minnesota, também no sábado 17 — o atentado já reivindicado pelo Estado Islâmico.

Bush pai pró-Hillary

A presidenciável democrata, Hillary Clinton, pode ter um eleitor de peso nas eleições de novembro: o ex-presidente americano George H. Bush, pai do também ex-presidente George W. Bush. A informação é de Kathleen Kennedy, sobrinha do ex-presidente democrata John F. Kennedy que postou uma foto de Bush em seu perfil no Facebook com a legenda “o presidente me disse que votará em Hillary”. Eleitor de Hillary ou não, Bush pai nunca declarou seu apoio ao candidato do Partido Republicano, Donald Trump. Também nesta terça-feira uma reportagem do jornal Washington Post mostrou documentos provando que Trump usou 258.000 dólares de sua fundação para obras em um resort e em um campo de golfe — não é a primeira vez que o republicano é acusado de usar dinheiro de caridade para compras pessoais.