Interditados produtos usados em ressonâncias em Campinas

Três pessoas morreram no hospital particular Vera Cruz, em Campinas, após realizar o exame

São Paulo – Os exames de ressonância magnética e de tomografia feitos com contraste voltaram a ser feitos hoje (30) em Campinas (SP). Os procedimentos haviam sido suspensos ontem (29), após a morte de três pessoas no hospital particular Vera Cruz. A Vigilância Sanitária Estadual, porém, interditou cautelarmente no estado os produtos que foram utilizados nos pacientes que morreram após os exames.

Todos os produtos (soro e solução injetável), tanto os lacrados como os já usados, foram recolhidos e serão analisados no Instituto Adolfo Lutz.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está acompanhando a investigação – foram enviados três técnicos para o município. A Vigilância Sanitária Estadual também enviou uma equipe da farmacovigilância e de radiação ionizante para auxiliar os trabalhos, que são de responsabilidade da Vigilância Sanitária Municipal. De acordo com a Anvisa, duas mortes ocorreram durante o exame de ressonância magnética e a outra após o exame.

Lista dos produtos interditados:

Magnevistan, solução injetável, Lote 11568D, com validade: 3/2015, fabricado por Bayer S.A, registro MS 1.7056.0065;
Dotarem, solução injetável, Lote 12GD324C, com validade: 10/2015; fabricado por Guerbet Produtos Radiológicos,com registro MS 1.4980.0016
Soro Fisiológico (NaCl) 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 252731, com validade: 8/2014;
Soro Fisiológico 500ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 249031, com validade: 8/2014;
Soro Fisiológico 250ml, fabricado por Eurofarma Laboratórios Ltda, Lote 245825, com validade: 7/2014;
Soro Samtec 10ml, Lote SOG, validade: 2/2014; Lote SSN validade: 5/2014;
Soro Equipex 10ml, Lote 1230970, validade: 7/2014.