Haddad nega ser alternativa a Lula em eleições de 2018

O ex-prefeito declarou que o partido não trabalha com a hipótese de Lula não sair como candidato, por considerar a sentença que o condenou como "frágil"

Brasília – Avaliado como plano B do PT para as eleições presidenciais de 2018, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad negou nesta quinta-feira, 17, mais uma vez, que considere a hipótese de se lançar à Presidência no próximo pleito.

Após participar de comissão na Câmara, Haddad preferiu destacar os atributos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e minimizou as chances de uma candidatura “outsider”.

“Nós não trabalhamos com essa hipótese de Lula não sair como candidato em 2018 porque nós consideramos que a sentença é frágil o suficiente para ser revertida pelo tribunal. Então, trabalhar com essa hipótese seria até uma deselegância”, respondeu, antes de analisar o papel do ex-presidente na disputa.

“Lula é um ‘quadraço’, uma pessoa que sempre conduziu ouvindo pessoas, compondo equipe, ouve quem está fora do governo, é um democrata”, complementou.

Nesse cenário, o ex-prefeito de São Paulo minimizou as chances de uma candidatura como a do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

“Eu não acredito que isso vá acontecer vitória do Bolsonaro. Há um deslocamento para a direta. É um fenômeno mundial, que fez recrudescer essa intolerância, o antagonismo. Bolsonaro é fruto desse deslocamento”, disse.

“Mas, no Brasil, em função de termos um presidente em exercício que é muito malsucedido e em função de termos um ex-presidente que foi muito bem-sucedido, podemos ter um cenário diferente do internacional”, argumentou.