Gravações mostram ameaças de supostos taxistas a Uber. Ouça

Em áudios obtidos por EXAME.com, motoristas instigam violência contra os concorrentes

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, liberou a operação do serviço de transporte Uber na capital paulista nesta semana. Apesar de essa ser uma excelente notícia para os motoristas parceiros da Uber e para quase todos os paulistanos, a medida incomodou os motoristas de táxi.

Gravações obtidas por EXAME.com mostram ameaças de supostos taxistas aos concorrentes. Nos áudios, pessoas instigam os companheiros de profissão a andar com barras de ferro nos táxis e quebrar carros prata e preto “não importa se for Uber ou não”.

Em uma das gravações, alguém reclama que os taxistas hoje ganham menos do que antes, passando de uma renda mensal de 8 mil reais para menos de 4 mil reais.

Outra gravação seria de um motorista de táxi que não aderiu à manifestação contra a Uber e teve seu carro depredado. O áudio é repleto de palavras chulas e xingamentos direcionados aos manifestantes. 

Nas demais gravações, supostos taxistas convocam colegas para protestar contra a Uber de maneira pacífica.

Desde ontem, quando o Uber foi liberado por Haddad, motoristas de táxi fizeram protestos em São Paulo. Hoje, eles atearam fogo a pneus para criar uma barricada no Viaduto do Anhangabaú. O impacto do bloqueio no trânsito chegou até a Ponte das Bandeiras. 

Ouça as gravações obtidas por Exame.com a seguir.