Governo teme que protestos e greve do dia 28 abalem reformas

Governo quer acelerar a votação da reforma trabalhista por medo de que os deputados mudem de ideia após protestos

Brasília – O governo vai tentar votar ainda nesta quarta-feira, 19, um novo requerimento de urgência para acelerar a tramitação da reforma trabalhista na Câmara.

A pressa para aprovar o texto passa pelo temor de que as manifestações convocadas pela oposição para o próximo dia 28 façam os deputados da base desistirem de apoiar o projeto.

“Eu estou avisando, se não aprovarem a urgência do projeto, a reforma pode ir para as calendas”, disse o relator do texto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), usando uma expressão que significa adiar algo para uma data que nunca há de vir.

As centrais sindicais convocaram para o próximo dia 28 uma greve geral contra as reformas da previdência, trabalhista e a aprovação da Lei da Terceirização irrestrita.

Um interlocutor do governo afirma que, se a mobilização for muito grande, poderá fazer com que deputados desistam de apoiar as reformas, por medo da pressão popular.

A derrota durante a votação do requerimento de urgência nesta terça-feira, 18, surpreendeu o Palácio do Planalto, que vê a aprovação da reforma trabalhista como um termômetro para o apoio que o governo vai ter nas mudanças da Previdência.

O governo precisava de 257 votos a favor, mas conseguiu apenas 230. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumiu a responsabilidade da derrota e disse que cometeu um erro ao colocar o projeto em votação quando não havia número suficiente de deputados no plenário.

Nesta quarta, ele afirmou que a votação serviu de alerta para a base aliada perceber que precisa “ficar mais atento para não levar susto”. O líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), começou o dia ligando para líderes da Casa para garantir a aprovação da urgência.

Se não conseguir aprovar o requerimento nesta quarta, a tramitação da reforma deve atrasar, pois o texto terá que seguir prazos regimentais e poderá ser votado na comissão somente daqui a duas semanas.

A ideia do governo, porém, é aprovar o projeto no plenário da Câmara já na próxima semana.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. HELVIO TARCISIO

    Antes de fazer a reforma da previdência, é preciso fazer uma profunda reforma do estado! O estado brasileiro lembra muito os reinados da idade média, com os caríssimos privilégios da corte real, nos três poderes da república! As despesas da máquina pública (corte real) são gigantescas e as transferências de recursos (juros da dívida pública) para os donos do poder (os bancos) são absolutamente imorais! Veja os números no link abaixo:
    http://www.orcamentofederal.gov.br

  2. Margarete Pereira

    fora Michel temer você só esta mexendo com aposentados por invalidez e outros que estão para se aposentar querendo tirar o direitos dos aposentados , e trabalhadores você pode mexer em outras áreas deixe os aposentados em paz e trabalhadores que só esta trabalhando para comer e nem consegue pagar suas contas fora temer vc é o mesmo mentiroso igual a Dilma e lula pede pra sair .

  3. Lula quebrou o pais. Se as reformas são necessarias a culpa é dele

  4. A greve não é contra a reforma, mas para defender o Lula. Está escrito no site da CUT.
    O PT é a pior coisa que aconteceu para o Brasil. Usa motivos nobres para objetivos excusos.
    Quebra o País, vende o para corruptos e acusa os outros dos próprios crimes.

    1. Braulio Gomes

      PQ é um cancer que precisa ser exterminado!!

    2. Braulio Gomes

      PT é um cancer que precisa ser exterminado!