Governo assina acordo para permanência de médicos cubanos

Atualmente, os profissionais cubanos preenchem mais de 60% das 18,2 mil vagas em todo o país

O secretário executivo do <a href="http://www.exame.com.br/topicos/ministerio-da-saude"><strong>Ministério da Saúde</strong></a>, Antônio Nardi, assinou, hoje (26), na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), em Washington (Estados Unidos), o contrato que mantém, por mais três anos, a participação dos profissionais cubanos no <a href="http://www.exame.com.br/topicos/mais-medicos"><strong>Mais Médicos</strong></a>.</p>

A formalização do acordo foi efetivada durante a 55ª Reunião do Conselho Diretor da OPAS. A medida já havia sido anunciado na semana passada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, e pelo representante da Organização Pan-americana da Saúde no Brasil, Joaquín Molina.

Os médicos cooperados que completam três anos de atuação no Mais Médicos serão substituídos por novos profissionais a partir de novembro, no entanto, vagas com potencial para atrair brasileiros serão ofertadas em editais a partir de 2017.  Atualmente, os profissionais cubanos preenchem mais de 60% das 18,2 mil vagas em todo o país.