Goleiro da Chapecoense passa bem e deve voltar para Chapecó

O jogador está internado no Hospital Albert Einstein e pode ser transferido amanhã (17) para Chapecó (SC)

O goleiro da Chapecoense, Jackson Follmann, um dos seis sobreviventes do acidente aéreo com o time catarinense no dia 29 de novembro na Colômbia, passou hoje (16) por exames laboratoriais que apontaram boas condições.

O jogador está internado no Hospital Albert Einstein e pode ser transferido amanhã (17) para Chapecó (SC).

De acordo com último boletim médico, a tomografia computadorizada da coluna cervical demonstra o bom posicionamento da fixação da vértebra C2 e alterações consideradas normais no pós-operatório.

“Follmann continua internado na Unidade Semi-Intensiva realizando fisioterapia, já senta-se fora do leito e permanece sem sonda vesical (retirada ontem). Permanecidas as condições atuais, a transferência do paciente está sendo programada para a manhã de sábado”, diz o boletim.

O goleiro está internado no Alberto Einstein desde terça-feira (13), onde foi submetido a uma correção cirúrgica de uma fratura, com fixação da segunda vértebra cervical.

O procedimento foi conduzido pelo neurocirurgião Jorge Roberto Pagura e pelo ortopedista Alexandre Sadao Iutaka.

O atleta, que teve parte da perna direita amputada, estava internado na Colômbia e foi o primeiro brasileiro sobrevivente do acidente a voltar ao país.

No acidente com o avião, que levava a equipe da Chapecoense para Medellín para a disputa do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, 71 pessoas morreram, entre atletas, membros do clube, tripulantes e jornalistas. Entre os seis sobreviventes, quatro são brasileiros e dois bolivianos.