Estudante desafia ITA e se forma de vestido, salto e maquiagem

Em entrevista a jornal, estudante conta que chegou a ficar alguns dias preso por pintar cabelos e usar maquiagem

São Paulo — A formatura do jovem Talles de Oliveira Faria, aluno de engenharia do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), virou palco para um protesto contra a homofobia, denunciada por ele na instituição de São José dos Campos (SP).

No último fim de semana, Talles despiu-se da beca na hora de receber o diploma e revelou um vestido vermelho e salto alto.

De maquiagem e cabelo descolorido, o agora engenheiro fez questão de se liberar das amarras que, segundo ele, são impostas pelo regulamento do ITA, próprio da carreira militar.

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, Talles conta que chegou a ficar alguns dias preso por pintar cabelos e usar maquiagem.

O jovem também foi alvo de uma sindicância interna por ter se vestido de mulher em uma manifestação no Dia Nacional Contra a Homofobia, em 18 de maio passado.

De acordo com o G1, Talles se viu obrigado a deixar a carreira militar depois desse episódio. Do contrário, corria o risco de não se formar.

Ele acredita que sua orientação sexual, que nunca escondeu na universidade, afetou sua permanência por lá.

Escritas atrás de seu vestido de formatura, as palavras dirigidas à instituição foram: “Excelência em machismo, falsa meritocracia, elitismo, homofobia”.

Ao G1, a reitoria do ITA negou discriminar estudantes com base em orientação sexual, gênero, classe, raça e religião e disse que repudia atos de homofobia.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Omar Hajime Fidelis

    Felipe Medalla, eu não sei qual a sua fonte, mas a reportagem da Exame mostra somente o desrespeito por parte do aluno. Por favor, explique em q momento a instituição desrespeitou o aluno, como vc afirma.

  2. Onde esta o desrespeito da instituição, pois é só palavra de um aluno e um protesto ridículo que não enobrece em anda comunidade gay pelo contrário… as instruções militares não obriga a ninguem a servir ou fazer seus cursos só pede respeito e reze lo pela instituição, esse ocorrido motras duas opiniões de forma errônea… triste ver uma reportagem opinativa que esquece que a leitores que pensa…..

  3. Todo apoio ao Talles!!!

  4. Para mim é apenas atitude rebelde e desrespeito ao regulamento já estabelecido pelo ITA a todos os alunos. É querer se aparecer e se colocar acima do que já esta estabelecido, e não igualdade. Se quer ser como quer, poderia escolher uma outra faculdade para tal.