Espanha e Brasil acertam programa de cooperação tecnológica

Entre os projetos conjuntos, está a criação de um sistema de saúde eletrônica

Brasília – Brasil e Espanha começarão a trabalhar em um vasto programa de cooperação tecnológica que abrangerá desde Governo eletrônico até saúde digital, declarou nesta terça-feira o secretário de Telecomunicações e Sociedade da Informação da Espanha, Juan Junquera.

“Percebemos que o Brasil conta com a Espanha como parceiro tecnológico estratégico” para a criação de um sistema de saúde eletrônica e também para o desenvolvimento de projetos similares em outros âmbitos, declarou Junquera à Agência Efe após uma reunião com autoridades do Ministério do Planejamento, em Brasília.

Junquera, que iniciou na segunda-feira uma visita de quatro dias ao Brasil, afirmou que, nos contatos que teve com autoridades do país, se mostrou “surpreso” com que os “laços de cooperação que se podem estabelecer” na área de tecnologia da informação “vão além do que se pode imaginar”.

O secretário de Estado espanhol disse que, no momento, esses planos de cooperação indicam, além da área de saúde, oportunidades em urbanismo, turismo, transparência de informações públicas, Governo eletrônico e planejamento.

Além disso, a Espanha pode colaborar na criação de um “portal comum para municípios” brasileiros, que contaria com software e outras ferramentas abertas a todos os usuários, o que permitiria baratear sua implantação e posterior gestão.

Junquera afirmou que, em todos esses planos relacionados à sociedade da informação, o Brasil tem emergências diretamente vinculadas a sua condição de sede da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Já a Espanha, segundo o secretário, “é um país forte em tecnologia da informação”, um setor que “quer transformar no segundo motor de sua economia”, por isso as bases para uma sociedade com o Brasil nessa área “já estão sentadas”.

Segundo Junquera, que nos próximos dois dias se reunirá com autoridades do estado e da cidade de São Paulo, a intenção é elaborar e iniciar planos de cooperação nos quais “deverá haver empresas espanholas, mas também brasileiras”.