Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Em meio à crise política, monarquistas querem imperador no Brasil

O carioca Rodrigo Brasileiro, autor da proposta, argumenta que o “presidencialismo brasileiro é corrupto e corruptor”

São Paulo – Atentos à crise política e às revelações que colocaram em cheque o governo do presidente Michel Temer (PMDB), defensores da volta da monarquia ao Brasil já conseguiram 14 mil assinaturas em um abaixo-assinado online no site do Senado.

O carioca Rodrigo Brasileiro, autor da proposta, argumenta que o “presidencialismo brasileiro é corrupto e corruptor” e que “a implantação da Monarquia tiraria o viés partidário das decisões de Estado”.

Segundo o site do Senado, caso atinja 20 mil votos até o dia 15 de agosto, a ideia se tornará uma Sugestão Legislativa e será debatida pelos parlamentares. Mesmo assim, é improvável que a proposta avance no Congresso.

Confira a seguir a íntegra do texto:

“O presidencialismo brasileiro é corrupto e corruptor. A implantação da Monarquia tiraria o viés partidário das decisões de Estado, garantindo a isonomia do mesmo, ao mesmo tempo em que as funções de governo permaneceriam com os representantes eleitos pelo povo, com um menor custo ao erário público.

Caberia ao Imperador as funções de nomear e demitir o Primeiro-Ministro, dissolução do Congresso para convocar novas eleições, a Chefia Suprema das Forças Armadas, a indicação dos ministros do STF, a sanção ou veto a leis e a convocação de plebiscitos e referendos. As funções administrativas e de governo caberiam ao Primeiro Ministro e seu Gabinete. Legislativo e Judiciário com funções mantidas.”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Blandus Esto

    O link para a Idéia Legislativa, no site do Senado Federal, onde é possível deixar o apoio, é este aqui: http://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=70135

  2. Sophia Linsenbröder

    Morte à República… DEUS SALVE O IMPÉRIO BRASILEIRO

  3. Matheus Vinícius

    AVE IMPÉRIO!

  4. Helliton Soares Mesquita

    Império já.

  5. Fanuel Rocha Mota

    Depois 127 anos de desgraça republicana já passou da hora de restaurarmos o Império que o Brasil nasceu para ser.

    Como o próprio Marechal Deodoro disse: “República no Brasil e desgraça completa são a mesma coisa”

  6. Se no atual momento tivéssemos uma MONARQUIA PAR LAMENTAR CONSTITUCIONAL, com certeza o Imperador já teria dissolvido o Parlamento. Diga SIM a monarquia, pesquise, informe-se e verás o quanto é melhor que a Rés-pública.

  7. Wenderson Ganda

    Se tivéssemos um rei e um primeiro ministro, nenhuma dessas crises teria chegado onde chegamos e teríamos mais estabilidade. Só ignorantes não vêem as vantagens do regime monárquico. A República com um presidente super poderoso e com a corrupção generalizada só gera caos e desgraça para o povo, pois deste jeito os políticos só pensam em poder, dinheiro e na próxima eleição.

  8. Queremos a restauração da MONARQUIA PARLAMENTAR CONSTITUCIONAL, se tivéssemos um Imperador na atual crise republicana, com certeza ele já teria dissolvido o parlamento. Conheça nossa proposta, pesquise, as informe.
    Diga não a Rés-pública, que em nada vem contribuindo todos estes anos.

  9. Michel Teles Egito

    A república se resume a 128 anos de fracassos.
    Precisamos separar a Chefia de Estado e de Governo. Precisamos livrar o Estado das ambições partidárias (isto com certeza vai contribuir para que o mesmo deixe de ser mastodôntico).
    Precisamos de um Chefe de Estado neutro, posto que apartidário, e estável, posto que vitalício e hereditário, para que exerça o Poder Moderador de forma constitucional chamando as instituições a sua normalidade funcional, qual seja, o bem público.
    E quais seriam estas funções?
    Tomar conhecimento dos atos de governo em reuniões periódicas com o Chefe de Governo. Convenhamos que prestar contas de seus atos a alguém que pode demiti-lo direta ou indiretamente (dependendo do modelo adotado) já é um bom incentivo para a pessoa perseguir a competência e probidade.
    A dissolução do parlamento ( o que resultaria na demissão indireta do chefe de governo) caso seja necessário. Vimos isto acontecer recentemente no Reino da Espanha para que o país voltasse a normalidade e, como vimos, funciona.
    Estes são apenas dois dos aspectos políticos de atuação de um monarca (no caso brasileiro um Imperador). Existem outros.

  10. Michel Teles Egito

    Camboja, uma país destruído por uma ditadura comunista e por uma guerra civil: Restaurou sua monarquia em 1993 (mesmo ano em que o Brasil “rejeitou” a restauração da nossa).
    Enfrentou com sucesso sua última crise institucional mais séria em 1997, quando um golpe de Estado foi debelado.
    A estabilidade política permitiu que o país alcançasse índices de crescimento do PIB na ordem de dois dígitos na primeira década do século.
    O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país no período foi de 40% (subiu de 0.4 para 0.566), a título de comparação, no Brasil republicano no mesmo período o incremento foi de 23%, pouco mais da metade.

  11. A República fracassou miseravelmente, o único golpe a essa Nação foi quando derrubaram o Império. Estamos vendo tudo que aconteceu depois disso e como estamos nesse exato momento. Precisamos de forma urgente do Poder Moderador, a Monarquia Brasileira. O Brasil nunca deveria ter deixado de ser um Império, mas podemos resgatar nossas origens e nossa relevância como Nação Brasileira.

  12. Revisitar as origens, para solucionar os problemas atuais!
    Os três poderes estão completamente corrompidos!
    Se faz necessário o reestabelecimento do poder moderador, é preciso voltar à ordem, à ética/moral no âmbito político! Hegel vem dizer da importância de um poder moderador para unidade dos poderes, o Espírito do Estado…

  13. Marcos Acrobata

    A figura de P I, herói nacional sem o qual o país não existiria, merece todo o respeito, mas nossa proposta se baseia no período de estabilidade, avanço e, sobretudo, fazendo uma correlação ao período atual, de PROBIDADE de DOM PEDRO II.

  14. William Beethoven

    O povo precisa acordar e ver que não vai adiantar eleger esses ladrões, que são os únicos disponíveis! Os de caráter que são uma minoria, não são suficientes para mudar nada devido a maioria corrupta no poder! O povo revoltado, até os ignorantes e alienados falam que o único jeito é dissolver este governo, mas citam logo a impossibilidade disto, mas por falta de conhecimento. Se conhecessem a verdade sobre a história, a monarquia, e soubesse que ainda há interesse da família real voltar ao poder e levantar o Brasil e seu povo novamente, isso já seria uma realidade! O retorno da monarquia é o único jeito de dissolver por completo esse governo corrupto que acaba com o Brasil e seu povo desde o golpe militar que tirou a monarquia do poder, e acabou com a era de ouro do Brasil! Quando esse povo vai “acordar” e parar de acreditar nessas mídias convencionais manipuladoras, onde criam até séries e distorcem a história verdadeira do Brasil, onde o povo assiste e fica cada vez mais imbecilizado! Enganam o povo em relação a tudo! E o povo continua alienado, lutando e discutindo por nada, vivem como zumbis, escravos desse poder corrupto e golpista!

  15. Senhor Doutor Professor Patrick

    Gloria ao Imperador

  16. Magnun Fraga

    Volta monarquia!

  17. Ian Carlos Bergman Santana

    Seria muito bom, caso a editora abril por meio dos editoriais exame e veja pudesse fazer uma reportagem destacando os aspectos da monarquia em comparação com a república, de forma bem imparcial destacando os benefícios e malefícios cada forma de governo ,
    pegando nos depoimentos dos defensores dos dois lados. Ficarei feliz caso isso possa acontecer, mais ainda sendo materia de capa

  18. Gustavo Sousa

    Restaure a ordem. Restaure o império do Brasil. Único governo que deu certo no país. Desafio alguém me provar se teve algum governo republicano melhor que o governo imperial principalmente o segundo reinado. Desafio alguém me provar se teve algum presidente melhor chefe de estado do que o imperador Dom Pedro II.

  19. Gustavo Pereira

    A única solução para nos tirar deste caos! Com o imperador teríamos mais estabilidade, paz interna e confiança para o futuro! O maior desejo de qualquer monarquia é a prosperidade de seu povo e de sua nação! Deus salve D. Luis! Viva o Império, viva o Brasil!!!

  20. Enquanto as experiências de repúblicas no século 19 no continente americano resultaram em crises, golpes de Estado e presidentes assassinando milhares de pessoas, o Brasil era o único país estável e que desde a coroação de D. Pedro II prosperava economicamente sem parar, enquanto aprovava diversas leis no congresso no sentido da abolição. No império 13% da população votava, no Reino Unido 7%, em Portugal 9%, e nos Estados Unidos 18%.

    (Monteiro Lobato)
    “Tinha um rei. Tem sátrapas.
    Tinha dinheiro. Tem dívidas.
    Tinha justiça. Tem cambalachos de toga.
    Tinha parlamento. Tem antessalas de fâmulos (12).
    Tinha o respeito do estrangeiro. Tem irrisão e desprezo.
    Tinha moralidade. Tem o impudor deslavado.
    Tinha soberania. Tem cônsules estrangeiros assessorando
    ministros.
    Tinha estadistas. Tem pegas.
    Tinha vontade. Tem medo.
    Tinha leis. Tem estado de sítio.
    Tinha liberdade de impressa. Tem censura.
    Tinha brio. Tem fome.
    Tinha Pedro II. Tem… Não tem!
    Era. Não é.”

    A república só foi instaurada pois fôra decidido que, após a lei da abolição, os escravocratas não receberiam indenização, mas sim que os ex-escravos seriam ajudados a recompôr financieramente suas vidas com a ajuda do Estado. Se ajuda aos escravos libertos fosse realizada grande parte da pobreza atual e das favelas não existira.

    Alguns fatos sobre a monarquia.
    Quando D. Pedro II do Brasil subiu ao trono em 1840, 92% da população brasileira era analfabeta, em seu último ano de reinado em 1889, essa porcentagem era de 56%, devido ao seu grande incentivo a educação, a construção de Faculdades e principalmente de inúmeras Escolas que tinham como modelo o excelente Colégio Pedro II.
    A bandeira nacional brasileira tem entre as cores o verde e o amarelo pois a mãe de Pedro II do Brasil, a Imperatriz Leopoldina idealizou e costurou a primeira bandeira nacional sendo o verde a cor símbolo da casa real dos Bragança e o amarelo da casa real dos Habsburgo . Diferentemente como muitos pensam o verde não representa as matas e o amarelo não representa o ouro. Além disso seu pai Pedro I que compôs o nosso primeiro hino nacional que sofreu modificações ao longo da república.
    Pedro II do Brasil é Patrono do Corpo de Bombeiros e da Astronomia.
    Em 1887, a média da temperatura na cidade do Rio de Janeiro era 24° no ano. No mesmo ano a máxima no verão carioca no mês de janeiro foi de 29°.
    A Imperatriz Teresa Cristina cozinhava as próprias refeições diárias da família imperial apenas com a ajuda de uma empregada (paga com o salário de Pedro II).
    Em 1871, a Imperatriz Teresa Cristina doou todas as suas joias pessoais para a causa abolicionista, deixando a elite furiosa com tal ousadia. No mesmo ano A Lei do Ventre Livre entrou em vigor, assinada por sua filha a Princesa Imperial Dona Isabel.
    (1880) O Brasil era a 4º Economia do Mundo e o 9º Maior Império da História.
    (1860-1889) A Média do Crescimento Econômico era de 8,81% ao Ano.
    (1880) Eram 14 Impostos, atualmente são 98.
    (1850-1889) A Média da Inflação era de 1,08% ao Ano.
    (1880) A Moeda Brasileira tinha o mesmo valor do Dólar e da Libra Esterlina.
    (1880) O Brasil tinha a Segunda Maior e Melhor Marinha do Mundo. Perdendo apenas para Inglaterra.
    (1860-1889) O Brasil foi o primeiro país da América Latina e o segundo no Mundo a ter ensino especial para deficientes auditivos e deficientes visuais.
    (1880) O Brasil foi o maior construtor de estradas de Ferro do Mundo, com mais de 26 mil Km.
    A imprensa era livre tanto para pregar o ideal republicano quanto para falar mal do nosso Imperador. “Diplomatas europeus e outros observadores estranhavam a liberdade dos jornais brasileiros” conta o historiador José Murilo de Carvalho. “Schreiner, ministro da Áustria, afirmou que o Imperador era atacado pessoalmente na imprensa de modo que ‘causaria ao autor de tais artigos, em toda a Europa, até mesmo na Inglaterra, onde se tolera uma dose bastante forte de liberdade, um processo de alta traição’.” Mesmo diante desses ataques, D. Pedro II se colocava contra a censura.
    “Imprensa se combate com imprensa”, dizia.
    “Quanto às minhas opiniões políticas, tenho duas, uma impossível, outra realizada. A impossível é a república de Platão. A realizada é o sistema representativo [a Monarquia]. É sobretudo como brasileiro que me agrada esta última opinião, e eu peço aos deuses (também creio nos deuses) que afastem do Brasil o sistema republicano, porque esse dia seria o do nascimento da mais insolente aristocracia que o sol jamais alumiou”
    MACHADO DE ASSIS
    ESCRITOR E FUNDADOR DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS
    1. A média nacional do salário dos professores estaduais de Ensino Fundamental em (1880) era de R$ 8.958,00 em valores atualizados.
    2. Entre 1850 e 1890, o Rio de Janeiro era conhecido na Europa como “A Cidade Dos Pianos” devido ao enorme número de pianos em quase todos ambientes comerciais e domésticos.
    3. O bairro mais caro do Rio de Janeiro, o Leblon, era um quilombo que cultivava camélias, flor símbolo da abolição, sendo sustentado pela Princesa Isabel.
    4. O Maestro e Compositor Carlos Gomes, de “O Guarani” foi sustentado por Pedro II até atingir grande sucesso mundial.
    5. Pedro II tinha o projeto da construção de um trem que ligasse diretamente a cidade do Rio de Janeiro a cidade de Niterói. O projeto em tramito até hoje nunca saiu do papel.
    6. Pedro II mandou acabar com a guarda chamada Dragões da Independência por achar desperdício de dinheiro público. Com a república a guarda voltou a existir.
    7. Em 1887, Pedro II recebeu os diplomas honorários de Botânica e Astronomia pela Universidade de Cambridge.
    8. Descontruindo boatos, D. Pedro II e o Barão/Visconde de Mauá eram amigos e planejaram juntos o futuro dos escravos pós-abolição. Infelizmente com o golpe militar de 1889 os planos foram interrompidos.
    9. Oficialmente, a primeira grande favela na cidade do Rio de Janeiro, data de 1893, 4 anos e meio após a Proclamação da República e cancelamento de ajuda aos ex-cativos.
    10. D. Pedro II tinha 1,91m de altura, quando a média dos homens brasileiros era de 1,70m e mulheres 1,60m.
    11. Na época do golpe militar de 1889, D. Pedro II tinha 90% de aprovação da população em geral. Por isso o golpe não teve participação popular.
    12. José do Patrocínio organizou uma guarda especialmente para a proteção da Princesa Isabel, chamada “A Guarda Negra”. Devido a abolição e até mesmo antes na Lei do Ventre Livre , a princesa recebia diariamente ameaças contra sua vida e de seus filhos. As ameaças eram financiadas pelos grandes cafeicultores escravocratas.
    1. O Paço Leopoldina localizava-se onde atualmente é o Jardim Zoológico
    2. O Terreno onde fica o Estádio do Maracanã pertencia ao Duque de Saxe, esposo da Princesa Leopoldina.
    3. Santos Dumont almoçava 3 vezes por semana na casa da Princesa Isabel em Paris.
    4. A ideia do Cristo na montanha do corcovado partiu da Princesa Isabel.
    5. A família imperial não tinha escravos. Todos os negros eram alforriados e assalariados, em todos imóveis da família.
    6. D. Pedro II tentou ao parlamento a abolição da escravatura desde 1848. Uma luta contra os poderosos fazendeiros por 40 anos.
    7. D. Pedro II falava 23 idiomas, sendo que 17 era fluente.
    8. A primeira tradução do clássico árabe “Mil e uma noites” foi feita por D. Pedro II, do árabe arcaico para o português do Brasil.
    9. D. Pedro II doava 50% de sua dotação anual para instituições de caridade e incentivos para educação com ênfase nas ciências e artes.
    10. D. Pedro Augusto Saxe-Coburgo era fã assumido de Chiquinha Gonzaga.
    11. Princesa Isabel recebia com bastante frequência amigos negros em seu palácio em Laranjeiras para saraus e pequenas festas. Um verdadeiro escândalo para época.
    12. Na casa de veraneio em Petrópolis, Princesa Isabel ajudava a esconder escravos fugidos e arrecadava numerários para alforriá-los.
    13. Os pequenos filhos da Princesa Isabel possuíam um jornalzinho que circulava em Petrópolis, um jornal totalmente abolicionista.
    14. D. Pedro II recebeu 14 mil votos na Filadélfia para a eleição Presidencial, devido sua popularidade, na época os eleitores podiam votar em qualquer pessoa nas eleições.
    15. Uma senhora milionária do sul, inconformada com a derrota na guerra civil americana, propôs a Pedro II anexar o sul dos Estados Unidos ao Brasil, ele respondeu literalmente com dois “Never!” bem enfáticos.
    16. Pedro II fez um empréstimo pessoal a um banco europeu para comprar a fazenda que abrange hoje o Parque Nacional da Tijuca. Em uma época que ninguém pensava em ecologia ou desmatamento, Pedro II mandou reflorestar toda a grande fazenda de café com mata atlântica nativa.
    17. A mídia ridicularizava a figura de Pedro II por usar roupas extremamente simples, e o descaso no cuidado e manutenção dos palácios da Quinta da Boa Vista e Petrópolis. Pedro II não admitia tirar dinheiro do governo para tais futilidades. Alvo de charges quase diárias nos jornais, mantinha a total liberdade de expressão e nenhuma censura.
    18. Thomas Edison, Pasteur e Graham Bell fizeram teses em homenagem a Pedro II.
    19. Pedro II acreditava em Allan Kardec e Dr. Freud, confiando o tratamento de seu neto Pedro Augusto. Os resultados foram excelentes deixando Pedro Augusto sem nenhum surto por anos.
    20. D. Pedro II andava pelas ruas de Paris em seu exilio sempre com um saco de veludo ao bolso com um pouco de areia da praia de Copacabana. Foi enterrado com ele.
    A Princesa Isabel já em seu exilio em 1904 foi perguntada por que a família raramente usava as joias Imperiais no Brasil. Princesa Isabel respondeu que tanto ela como sua mãe, sabia que aquelas joias não as pertenciam. Que poderiam usar a qualquer hora em qualquer ocasião, mas raramente enxergavam motivos para usa-las. “Ainda mais se tratando de adornos grandes, pesados e de extrema “arrogância” com nosso povo”.
    Em Particular a Imperatriz Teresa Cristina sempre foi alvo de jornais e nobres da época por sua simplicidade e falta de capricho em seus trajes e adornos. Sempre muito discreta, só usava suas joias de cunho pessoal, nunca usou as joias do cofre Imperial, as tais “joias da coroa”. A mídia zombava de uma Imperatriz que se vestia como uma senhora de classe média.
    A maioria das joias particulares de família foram leiloadas e outras roubadas pelos militares dias após o Golpe de 1889. Já as joias Imperiais foram totalmente saqueadas pelos militares.

    Fonte: Biblioteca Nacional RJ, IMS RJ, Diário de Pedro II, Acervo Museu Imperial de Petrópolis RJ, IHGB, FGV, Museu Nacional RJ, Bibliografia de José Murilo de Carvalho.

  21. Wanderson Amorim

    A Espanha passa por uma crise política semelhante, sucedida pela crise econômica de 2008. Mas a diferença é que lá os espanhóis estão felizes por não terem um governo há mais de 200 dias; estão contentes em ter apenas um monarca, que é Felipe VII… Essa é a diferença de passar por uma crise numa república e numa monarquia: a separação da chefia de governo da chefia de Estado ou nação é imprescindível para a vida política de um país!

  22. Já passou os 20.000. Obrigado exame pela publicidade.
    Agora, ver esse debate na Câmara vai ser engraçado com esse nosso congresso bom.

  23. Ricardo Mattos

    Há 20 anos, os brasileiros foram às urnas em plebiscito nacional, por determinação constitucional, para escolher entre a forma de governo República ou Monarquia e entre Presidencialismo ou Parlamentarismo como sistema de governo a ser adotado no Brasil. O plebiscito ocorreu no dia 21 de abril de 1993, sendo que a República e o sistema presidencialista de governo foram mantidos pela população. O povo Brasileiro fez a Escolha o soberano da Nação Brasileira é a vontade popular; ponto final.

    1. Ana Carolina

      Acontece que a vontade popular é idiotizada 24 hrs pelo sistema público de ensino e pela mídia esquerdista e, de fato, a nação merece tudo o que está a ocorrer pois um povo ignorante e analfabeto funcional (vício convenientemente alimentado pela própria República), não sabe fazer escolhas e muito menos votar. Deu no que deu. Já dizia o ditado… “quem planta merda, colhe bosta”.

  24. Salve o Império do Brasil! #MONARQUIAJÁ