Doria apresenta programa de zeladoria urbana para São Paulo

De acordo com Doria, a ação é uma integração entre poder público, iniciativa privada, ONGs e cidadãos

O futuro prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou hoje (29) que não vai subir o preço das passagens de ônibus na capital paulista. Segundo ele, a tarifa será mantida em R$3,80 até o final de 2017.

“A decisão da prefeitura de São Paulo foi tomada e será mantida”, disse Doria após a apresentação do Programa de Zeladoria Urbana São Paulo-Cidade Linda, na manhã desta quinta-feira, em seu escritório de transição, no centro da cidade.

O programa pretende resgatar as principais vias de São Paulo. É um conjunto de serviços para revitalizar áreas em todas as regiões, e segundo o novo prefeito, a ação será regular e contínua, nos quatro anos de sua administração.

De acordo com Doria, a ação é uma integração entre poder público, iniciativa privada, organizações não governamentais (ONGs) e cidadãos.

A participação dos moradores acontecerá gradualmente, segundo ele: “No primeiro momento a população vai querer ver para crer, e à medida que formos ganhando confiança, nos eixos futuros nós vamos convidar a população para nos ajudar a recuperar jardins e áreas, a atuar na proteção aos moradores de rua”.

Ele acrescentou que “este é o momento de motivar e engajar”, e adiantou que futuramente será criado um aplicativo para o programa.

A ação começará no primeiro dia útil de 2017. Na segunda-feira (2), mais de 1.200 pessoas e 176 equipamentos (caminhões, varredeiras mecânicas e triciclos) iniciarão o trabalho de conservação de pavimentos, canteiros e jardins; conserto de passeios e guias; poda de árvores; troca de lixeiras; limpeza de pichação e monumentos; retirada de entulhos, faixas e cartazes; e reformas de acessibilidade, entre outras ações. O primeiro eixo a receber os serviços será a Avenida 9 de Julho, do trecho entre a Marginal Pinheiros e o Vale do Anhangabaú.

Coordenação de ações

O trabalho será coordenado pela Secretaria de Prefeituras Regionais, com apoio das secretarias de Desenvolvimento Social, Infraestrutura e Obras, Transportes e Mobilidade, Segurança Urbana e Verde e Meio Ambiente.

Doria garante que não só os trabalhadores participarão da ação, mas os secretários e presidentes das autarquias também estão designados para atuar na ação.

“Todos estarão lá às 6h, vestidos de gari e vassoura na mão, e vamos seguir a orientação do supervisor das empresas que farão a limpeza. Vamos agir e trabalhar exatamente como os garis que estão ali, nessa demonstração de apoio e de igualdade”, afirmou.

O futuro prefeito esclareceu que o serviço em andamento em outros pontos não será prejudicado. “Não haverá prejuízo. Ao contrário, haverá vantagem.

As empresas que prestam serviço serão voluntárias, não só na mão de obra, mas [também] nos equipamentos, e nenhum outro serviço será interrompido na cidade”.

Ele ainda enfatizou que todo o trabalho das empresas prestadoras de serviços no programa terá custo zero. “Conversei pessoalmente com todos eles [prestadoras de serviços], e em um ato solidário à nossa cidade, pedimos que nos apoiassem”, acrescentou.

Em janeiro, as ações continuarão na Avenida paulista (dias 7 e 8), Avenida 23 de Maio (14 e 15), Avenida Santo Amaro (dias 21 e 22) e Avenida Tiradentes (28 e 29). Em fevereiro, será a vez da Avenida Mateo Bei (dias 4 e 5), avenidas Ipiranga e São Luís (11 e 12), Centro Histórico – Praça da Sé, Rua Líbero Badaró, Pátio do Colégio – (18 e 19) e Avenida Cruzeiro do Sul (dias 25 e 26). O programa será estendido, depois, a outras regiões.

Moradores em situação de rua

De acordo com o novo prefeito, o programa não envolve apenas a zeladoria, do ponto de vista material. “Envolve o cuidado e atenção com aquelas pessoas que estão em situação de rua”, observou.

Ele garante que durante as ações haverá abordagem e ação em conjunto com essas pessoas.

“Todos serão bem tratados, com dignidade e compaixão. Esse esforço já tem sido feito nas últimas quatro semanas, pelas futuras secretárias de Desenvolvimento e Assistência Social, Sônia Francine, e de Direitos Humanos e Cidadania, Patrícia Brezerra, iniciativas religiosas e ONGs”.

Ele disse ainda que as secretárias apresentarão, em breve, um programa para a área de assistência a moradores em situação de rua.

Aviso aos pichadores

Ele enviou um alerta claro aos pichadores: “Ou mudem de profissão, ou se tornem artistas. Venham participar do programa Arte Urbana, que será coordenado pelo Eduardo Kobra [muralista]. Venham para o campo da arte, da dignidade e do trabalho, ou sofrerão as consequências da lei”. O aviso também é dado aos ambulantes, para que “se regularizem, procurem a prefeitura; de forma irregular não vão atuar”. Doria adiantou que haverá novas áreas para os ambulantes.

“Teremos um programa de shoppings populares para atender aos ambulantes que hoje estão nas ruas”.