Distritos indígenas receberão 46 médicos do Mais Médicos

Com a vinda de novos profissionais, o Mais Médicos trará benefícios a cerca de 212 mil índios

São Paulo – Um total de 46 profissionais do Programa Mais Médicos chega na próxima semana a 16 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis). Esses novos profissionais serão adicionados a 75 que exercem atividades nas povoações indígenas, atingindo o total de 122 médicos em 28 Dseis.

De acordo com o Portal da Saúde, a informação foi dada na solenidade inaugural da 5ª Conferência Nacional de Saúde Indígena, promovida na noite de segunda-feira, 2, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Com a vinda de novos profissionais, o Mais Médicos trará benefícios a cerca de 212 mil índios. Além dos médicos assegurados pelo projeto, o amparo à saúde dos índios é realizada por 264 profissionais que estão em atividade nos 34 Dseis.

“Nós já temos mais de 70 médicos, do Mais Médicos, que vieram de vários países do mundo para atender os povos indígenas que não tinham médicos.

Agora, em dezembro, nós vamos chegar a 122. O pedido feito por todos os Distritos Sanitários Especiais de Saúde Indígenas foi termos mais 250 médicos na saúde indígena. Nós vamos ter até março do ano que vem, ao todo, 250 novos médicos para atender os povos indígenas”, afirma Padilha.

Na abertura da 5ª Conferência Nacional de Saúde Indígena, ele firmou ato administrativo que concede autorização para a aquisição, pelos Dseis, de todos os remédios da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), o que aperfeiçoa a quantidade de produtos farmacêuticos nos povoados indígenas, e forma um grupo de trabalho para apreciação e preparo de inclusão de novos fármacos e insumos para apoio à saúde do índio no Sistema Único de Saúde (SUS).