Dissidentes contestam PSB-MG sobre candidatura própria

Deputado Wander Borges esteve ontem na sede do partido, discutindo alternativas para as eleições

Belo Horizonte – Os deputados estaduais socialistas Wander Borges, Antonio Lerin e Sérgio Lúcio de Almeida, o Tenente Lúcio, enviaram carta aos diretórios estadual e federal do PSB em repúdio à decisão desta quinta-feira, 26, do partido mineiro de ter um candidato próprio para disputar a vaga de governador nas eleições deste ano, com o nome de Tarcísio Delgado.

“Nós PSB temos a prefeitura de Belo Horizonte e mais alguns cargos de relevância graças a uma parceria com o atual governo (PSDB). Nós já construímos um caminho. Respeitamos o nome de Tarcísio, mas não temos nenhuma chance de vencer. E a decisão de ontem só refuta a pretensão de crescimento do partido em Minas Gerais e no país”, declarou o deputado Wander Borges.

Borges esteve ontem na sede do partido, discutindo as alternativas para o PSB nas eleições. “Tentamos montar uma coligação maior para tentarmos eleger o maior número de candidatos possíveis. Mas não foi aceito”, declarou.

Borges e Lerin são pré-candidatos a deputado estadual e o Tenente Lúcio, a federal. Borges acredita que ainda dá tempo para reverter a decisão de ontem.

“Há várias desistências de colegas que se colocaram como pré-candidatos a deputados federais e estaduais”, ressaltou. Os políticos convocaram uma coletiva de imprensa às 17h para explicar o motivo da carta e a posição deles.

Nesta quinta, em conversa com jornalistas, o presidente Júlio Delgado comentou que é “normal” haver dissidentes no partido, mas que o PSB teria o apoio de pessoas insatisfeitas com o PT e o PSDB.