DIS vê traição de pai de Neymar e teme por imagem do jogador

O grupo de investimentos disse que não foi adequadamente compensado pela transferência de Neymar para o Barcelona

Madri – O grupo de investimento DIS voltou a defender nesta quinta-feira que não foi adequadamente compensado pela transferência de Neymar para o Barcelona, se declarando “enganado” pelo pai do jogador, e afirmou temer que a imagem do atacante seja manchada pela investigação da Justiça.

Além disso, espera que logo seja colocado um fim aos problemas judiciais envolvendo o jogador do Barcelona na Espanha e no Brasil.

Delcir Sonda, o cofundador do Grupo Sonda, que tem o DIS como o seu braço esportivo e investiu em Neymar nos primeiros anos da sua carreira, concedeu entrevista coletiva para falar do assunto nesta quinta em Madri.

“Você é um jogador excepcional e não gostaria de ver a sua história marcada por um crime”, disse. “Espero que você irá mostrar a mesma maturidade que tem no campo e vai colocar um fim aos seus problemas judiciais no Brasil e na Espanha. Ninguém merece isso”.

O DIS apresentou uma denúncia a um tribunal afirmando que foi financeiramente prejudicado por Barcelona, Neymar e o Santos, que teriam escondido o real valor da transferência do jogador em 2013. O grupo tinha direito a 40% do valor total da negociação.

Neymar e seu pai prestaram depoimento na última terça-feira, como parte da investigação pela sua transferência.

O atual presidente do Barcelona e seu antecessor também compareceram ao tribunal nesta semana, assim como representes do Santos.

Todos eles negaram as acusações. E o clube paulista afirma que também foi lesado na transferência.

Delcir Sonda afirmou que o pai de Neymar tentou recomprar a participação de 40% do DIS em Neymar por cerca de 4 milhões de euros (aproximadamente R$ 17 milhões, atualmente).

Na época, porém, o valor estimado do jogador já era de 60 milhões de euros (R$ 260 milhões), disse o grupo. O grupo de investimento pagou 2 milhões de euros (R$ 9 milhões) pela sua participação nos direitos econômicos do atacante.

Diante disso, Delcir Sonda declarou que se sentiu “enganado” porque sua família costumava ter um relacionamento pessoal com o jogador e seu pai. “Eles achavam que éramos bobos”, afirmou.

“Mas agora eles estão sentados na frente de um juiz tendo que se explicar. Temos plena confiança de que o sistema judicial espanhol vai resolver isso”.

Sonda disse que era impossível para Neymar não saber sobre o que estava acontecendo em relação às negociações, como teria defendido seu pai no tribunal.

Ele disse que o grupo também não sabe se há alguma verdade na afirmação de seu pai que Neymar tem uma oferta de 190 milhões de euros (R$ 820 milhões) de outro clube.