Desvios nos fundos; J&F na mira…

Fundos com problema

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira a Operação Greenfield, que investiga desvios que inicialmente foram reportados em 8 bilhões, mas podem chegar a 50 bilhões de reais, em recursos dos quatro maiores fundos de pensão do Brasil, ligados a estatais. Nas investigações foram verificados déficits bilionários causados por pagamentos de propina e facilitação de destinação de recursos de fundos como Funcef (fundo de pensão de funcionários da Caixa Econômica), o Petros (Petrobras), o Postalis (Correios) e Previ (Banco do Brasil). Segundo o jornal O Globo, são mais de 40 os investigados.

Os alvos 

Foram levados a depor os responsáveis por empresas que supostamente se beneficiaram dos recursos, pagando propina para liberação de recursos dos fundos. Foram conduzidos coercitivamente o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, o ex-presidente da Engevix Cristiano Kok, o sócio do grupo J&F Wesley Batista e o dono da construtora WTorre, Walter Torre. Joesley Batista também seria obrigado a depor, mas está em viagem fora do país. A J&F responde pela empresa Eldorado. Houve também mandado de busca e apreensão na casa de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT. Todos os envolvidos foram afastados do comando das empresas e dos fundos.

Dobradinha

O ex-presidente da OAS Léo Pinheiro figura em um combo de operações da Polícia Federal nesta segunda-feira. O dia do empreiteiro iniciou com condução coercitiva na Operação Greenfield e terminou na prisão pela Lava-Jato. Depois de questionado, Pinheiro foi detido preventivamente por ordem do juiz federal Sergio Moro por ter agido para obstruir investigações. Ele foi levado à Superintendência da PF em Curitiba ainda nesta manhã.

Contra Temer

A Polícia Civil indiciou por associação criminosa 16 dos 26 manifestantes presos antes da manifestação de sexta-feira em São Paulo. Os outros 10 eram menores e respondem por ato infracional. Segundo a polícia, uma denúncia anônima que os levou ao Centro Cultural São Paulo, onde parte dos manifestantes estava reunida. Foram apreendidos um canivete e uma barra de ferro. Os detidos dizem que as provas foram plantadas pela PM para incriminá-los.

Na justiça

O senador Lindbergh Farias acionará a Organização dos Estados Americanos contra a atuação da PM no protesto de sexta. O ato pacífico em boa parte do percurso terminou em confusão, com lançamento de bombas de gás e efeito moral pela polícia no Largo da Batata, em Pinheiros. “Eu acho que o objetivo da PM é passar aquela imagem para pôr medo na população, para que não saia às ruas”, afirmou em entrevista coletiva. Lindbergh esteve presente no ato com o deputado federal Paulo Teixeira, o ex-senador Eduardo Suplicy, o secretário municipal de Saúde Alexandre Padilha e o vereador Nabil Bonduki, todos do PT de São Paulo.

Casa quase cheia

Chegou a 1,5 milhão o número de ingressos vendidos para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. O caminho é longo, já que ainda está disponível outro 1 milhão. A marca é de toda forma importante pois há duas semanas, apenas 20% das entradas estavam loteadas. “Houve uma mudança importante do padrão das vendas de ingressos. Vimos uma grande quantidade de venda proveniente da energia gerada pelos Jogos Olímpicos. Agora estamos vendo um público com um olhar específico para os atletas e pelos duelos marcados”, disse à imprensa Mario Andrada, diretor executivo de Comunicação do Comitê Rio-2016. Os Jogos começam nesta quarta-feira.