Desmilitarização da PM é apoiada por policiais

Pesquisa da FGV ouviu milhares de policiais - civis, militares e federais - sobre a modernização das corporações. Respostas mostram que eles querem mudanças

São Paulo – A insatisfação com a polícia brasileira está presente nas próprias corporações. Pelo menos é o que indica uma pesquisa de opinião feita com policiais brasileiros de todas as áreas sobre modernização na segurança pública.  

Conduzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), pelo Centro de Pesquisas Jurídicas Aplicadas da FGV e pelo Ministério da Justiça, o estudo entrevistou mais de 21 mil policiais.

As respostas mostram a existência de uma maioria favorável à desmilitarização da polícia (veja na tabela abaixo). Foram entrevistados policiais civis, militares, federais, rodoviários e os bombeiros.

Mais de 70% disseram concordar total ou parcialmente com a retirada das polícias militares e dos corpos de bombeiros como forças auxiliares do Exército.

A modernização dos regimentos internos, a regulamentação do direito de greve (hoje negado aos PMs, pelo menos de forma legal) e um trabalho mais direcionado à cidadania são outras mudanças apoiadas pelos policiais.

  Concordam total ou parcialmente Discordam total ou parcialmente
Retirar as polícias militares e os corpos de bombeiros militares como forças auxiliares do exército (subordinação e fim da inspetoria da PM) 73,80% 20,80%
Modernização dos regimentos e códigos disciplinares de modo a adequá-los à Consituição de 1988 93,70% 3,40%
Regulamentação do direito à sindicalização e de greve da PM 86,40% 11,30%
Reorientar o foco de trabalho das PMs para proteção dos direitos de cidadania 87,30% 8,60%

Quando perguntados qual seria o melhor modelo de polícia para a realidade brasileira, as duas opções mais votadas pelo policiais pediam por uma polícia integrada e civil. 

Quase 3 em cada 10 policiais afirmou apoiar a criação de uma nova polícia, de ciclo completo, de caráter civil e com hierarquia organizada em carreira única. 

Desmilitarização

Embora 73,8% dos policiais queiram a desmilitarização, este índice varia quando são ouvidos apenas os interessados, isto é, a própria PM e os bombeiros. A diferença é grande entre os estados brasileiros. 

O Distrito Federal é o estado mais inclinado a essa desmilitarização, apoiada por 93,7% dos PMs e por 84,2% dos bombeiros. Em Minas Gerais, forma-se uma frágil maioria. Confira:

  Concordam total ou parcialmente Discordam total ou parcialmente
Minas Gerais
 
PM 51,60% 41,50%
Bombeiros 29,70% 67,70%
São Paulo    
PM 68,60% 29,70%
Bombeiros 67,70% 29,40%
Distrito Federal    
PM 93,70% 5%
Bombeiros 84,20% 14,90%
Bahia    
PM 81,60% 69%
Bombeiros 69% 23,80%
Pernambuco    
PM 90,40% 8,20%
Bombeiros 80% 18%
Rio de Janeiro
 
PM 79,10% 17,70%
Bombeiros 48,60% 49,30%