Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Cúpula do PSB visita Marina em São Paulo

Foi a primeira vez que o grupo se reuniu após o acidente aéreo que matou o presidenciável Eduardo Campos, na última quarta-feira, 13

São Paulo – A cúpula do PSB visitou na manhã desta sexta-feira, 15, a candidata a vice-presidente Marina Silva.

Foi a primeira vez que o grupo se reuniu após o acidente aéreo que matou o presidenciável Eduardo Campos, na última quarta-feira, 13.

Segundo o presidente em exercício da sigla, Roberto Amaral, foi comunicado a Marina que o PSB vai se reunir na próxima quarta-feira, 20, para tomar uma decisão referente ao processo eleitoral.

Já há consenso, porém, que o nome da vice é o ideal para assumir a cabeça de chapa.

“A nossa prioridade é enterrar o Eduardo. Fazer as homenagens que ele merece. Somente depois vamos discutir o cenário eleitoral”, afirmou.

Estiveram no apartamento da vice, além do Amaral, o secretário executivo, Carlos Siqueira, a deputada Luiza Erundina (PSB), e Milton Coelho, que foi secretário de Campos em Pernambuco.

O porta-voz da Rede Sustentabilidade, Walter Feldman, também acompanhou o grupo.

Bastante emocionado, Amaral disse que não visitou a ex-ministra antes porque “não tinha condições emocionais”. “A gente olha para a Marina e vê o Eduardo.”

Amaral é apontado como um dos principais focos de resistência ao nome de Marina.

Bastante ligado ao PT, ele foi contra a aliança com a ex-ministra e havia se afastado do dia a dia da campanha.

Questionado sobre o assunto, disse que jamais escondeu as divergências com Marina, mas afirmou que isso nunca os impediu de ter uma relação respeitosa.

Segundo os presentes na reunião, Marina continua bastante emocionada com o que aconteceu. Ela teria conseguido falar com Renata, a viúva de Campos, por telefone na noite de quinta-feira, 14.

Prazos

De acordo com a legislação eleitoral, o PSB tem dez dias, a partir da data da morte de Campos, para apresentar um novo candidato à Presidência. Na terça-feira, 19, na estreia do horário eleitoral na TV, o PSB vai homenagear Campos na propaganda.