Cunha amplia prazo para indicações à comissão do impeachment

A maior expectativa está em torno do PMDB, que após um fim de semana de negociações, já definiu cinco das oito cadeiras que a sigla terá na comissão

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prorrogou das 14h para às 18h desta segunda-feira (7) o prazo-limite para que os partidos indiquem os nomes que vão compor a Comissão Especial que vai analisar processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Até o meio-dia de hoje, os partidos tinham indicado, oficialmente à Secretaria-Geral da Mesa da Casa, nomes para apenas 11 das 65 vagas de titulares. Esses nomes são de partidos como PRB, Solidariedade  PMN, PEN, PV, PDT, PCdoB e PTC.

Apesar de ainda não terem entregue os nomes, muitos partidos já definiram suas escolhas.

A maior expectativa está em torno do PMDB, que após um fim de semana de negociações, já definiu cinco das oito cadeiras que a sigla terá na comissão.

Além do próprio líder peemedebista, Leonardo Picciani (RJ), integrarão o colegiado os deputados Hildo Rocha (MA), João Arruda (PR), José Priante Junior (PA) e Washington Reis (RJ), todos vistos como da ala afinada com o Palácio do Planalto.

As outras três vagas ainda estão em negociação, já que a pressão de nomes da legenda a favor do impeachment da presidenta que querem integrar o colegiado é grande.

A comissão será eleita ou referendada pelo plenário da Câmara, em reunião marcada para começar também às 18h.

Antes da homologação da comissão, o presidente da Câmara vai se reunir com os líderes partidários para tratar do funcionamento do colegiado que será formado por representantes de todos os partidos representados na Casa.