Crivella sobe o tom e diz que Freixo apoia black blocs

Campanha no Rio de Janeiro fica mais agressiva, com Crivella acusando Freixo de apoiar black blocs e Freixo lembrando passado de pregador de Crivella

Rio de Janeiro – Os candidatos a prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB) e Marcelo Freixo (PSOL), intensificaram os ataques mútuos no fim de semana, em inserções no rádio e na TV.

A campanha de Crivella acusa Freixo de defender os black blocs, manifestantes mascarados que defendem a violência como forma de protesto.

Em vídeo veiculado pela campanha do candidato do PRB, Freixo diz que “vários movimentos têm vários métodos distintos; eu não sou juiz para ficar avaliando os métodos em si. Eu não sou juiz para dizer que movimento é um movimento correto ou não é”.

O PSOL recorreu ao passado de pregador de Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus. A campanha de Freixo passou a veicular vídeo em que o candidato do PRB discursa sobre pregação e afirma ter ouvido do tio, bispo Edir Macedo, que “quando a gente precisa de dinheiro, a gente pesca o peixe, que o peixe na boca traz a moeda; ganha a alma que você vai ganhar a oferta”.

Freixo afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que “aos poucos a máscara do Crivella vai caindo”. “Repleto de preconceitos e intolerante, (Crivella) prega um discurso de ódio contra determinados grupos e religiões.” Procurado no domingo, 16, por meio de sua assessoria, Crivella não se manifestou.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.