Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,29%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -0,58% 63.715 pts
Pontos 63.715
Variação -0,58%
Maior Alta 3,61% FIBR3
Maior Baixa -3,10% TIMP3
Última atualização 29/05/2017 - 15:40 FONTE

Copacabana amanhece com comércio fechado após confrontos

Os comerciantes fecharam as portas na Rua Saint Roman, que dá acesso à comunidade e, segundo o comando da UPP do Pavão, não há registro de confrontos na área

Rio de Janeiro – A comunidade do Pavão/Pavãozinho em Copacabana, zona sul do Rio, amanheceu em clima de apreensão depois dos intensos confrontos de ontem (10) entre policiais e criminosos armados.

O comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, capitão Vinicius Apolinário de Oliveira, foi ferido por estilhaços durante o confronto. Ele foi levado para o hospital da Polícia Militar e depois liberado. Dois militares do Batalhão de Choque também ficaram feridos.

Os comerciantes fecharam as portas na Rua Saint Roman, que dá acesso à comunidade e, segundo o comando da UPP do Pavão, não há registro de confrontos na área. O policiamento segue reforçado.

Ontem, porém, o panorama foi diferente. Segundo a bibliotecária e moradora da comunidade Helena Duarte, o cenário era de guerra.

Ela, que administra a Biblioteca Escolar Municipal Carlos Drummond de Andrade, em frente à comunidade, disse que as crianças que estavam no local no momento da troca de tiros viveram minutos de terror.

“Os pais deles nos ligavam perguntando se estava tudo bem e ordenavam que não deixássemos eles subirem, pois lá em cima estava perigoso demais. Essa rua estava tomada por carros da Polícia Militar, do Bope. Eles chegavam a trocar tiros aqui da esquina. Para mim, que estava dentro da biblioteca, parecia que era do lado. Foi um terror. Graças a Deus ninguém se feriu”, afirmou.

A empregada doméstica e também moradora da região Rita Quirino disse que por morar um pouco longe da área onde o confronto foi mais intenso, o clima foi mais calmo, mas que sempre existe o alerta para quem circula pelas redondezas da comunidade.

“Eu estava no trabalho e lá é um pouquinho isolado da entrada da comunidade, então foi mais tranquilo. Claro que eu procurei ficar em local seguro, mas o fato de convivermos com isso diariamente nos deixa até mais calejados e menos preocupados. É triste, mas é o ponto em que chegamos”, lamentou.

Segundo a Secretaria de Educação, todas as escolas da rede estadual que ficam na área do Pavão/ Pavãozinho estão funcionando normalmente hoje (11).