Comandante-geral da PM do Amazonas é afastado do cargo

Segundo fontes do governo local, há uma avaliação de que Pereira teve uma atuação "apática" desde o início da crise penitenciária do estado

O comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas, Augusto Sérgio Pereira, foi afastado do cargo na manhã de hoje (16) pelo governador José Melo.

Segundo fontes do governo local, há uma avaliação dentro do governo de que Pereira teve uma atuação “apática” desde o início da crise penitenciária do estado, nos dois primeiros dias de janeiro.

O comandante, por exemplo, não foi ao Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) durante a rebelião, que terminou com 56 mortos. O governo local não confirma oficialmente o afastamento e nem dá detalhes da saída.

Esta não é a primeira troca no comando da Polícia Militar no governo de José Melo. Em dois anos, Pereira foi o quarto comandante a assumir o cargo. Em 2014, foram duas trocas no comando.

A crise penitenciária do estado foi deflagrada no dia 1º de janeiro de 2017, quando 56 presos foram assassinados no Compaj. Além disso, cinco funcionários do complexo foram mantidos reféns, mas liberados posteriormente.

A rebelião levou à suspensão das visitas e da entrada de comida entregue por parentes. Na última sexta-feira (13), o secretário de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio, pediu demissão do cargo, dando lugar a Cleiman Rabelo.