Campanha começa com ações na internet e críticas ao governo

Encerrado o prazo de registro de candidatos para as eleições, as campanhas dos candidatos à presidência foram iniciadas tanto nas ruas como na internet

São Paulo – Encerrado ontem o prazo de registro de candidatos para as eleições de outubro junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as campanhas eleitorais dos candidatos à presidência foram iniciadas neste domingo com ações tanto nas ruas como na internet.

Entre os três principais candidatos, a presidente Dilma Rousseff, que buscará sua reeleição, foi a única que não teve atividades públicas marcadas para hoje e, por isso, se concentrou na internet.

Em um vídeo publicado no site oficial de sua campanha, Dilma afirma que priorizará uma disputa de “alto nível” e baseada nos debates que antecedem as eleições, qualificadas como as “mais politizadas” da história.

O principal candidato opositor, o social-democrata Aécio Neves (PSDB), participou do 17º Festival do Japão, realizado em São Paulo, e teceu algumas criticas ao governo, principalmente em relação ao “uso” da Copa para “fins diferentes”, como os políticos.

Embora tenha descartado a possibilidade de uma “guerra” ou uma divisão do país, Aécio comentou que via uma “tentativa de certa apropriação destes eventos esportivos para o campo político” e disse torcer por um “triunfo” da seleção brasileira, inclusive com a perda do ídolo Neymar.

O político esteve acompanhado por seu companheiro de coligação e candidato a vice-presidente, o senador Aloysio Nunes; pelo governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin – que busca sua reeleição -, e por José Serra, que foi derrotado por Dilma no segundo turno das eleições de 2010.

O socialista Eduardo Campos, tido como o terceiro nome desta disputa, visitou à favela Sol Nascente de Brasília na companhia da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que aparece como candidata a vice-presidência.

Durante a visita à favela, Campos chegou a dizer que o PT deveria demonstrar “humildade” e não se apresentar às eleições presidenciais devido a seu “fracasso” como governo, citando como exemplo o fato do humilde bairro, situado a 35 quilômetros do palácio presidencial, não ter uma coleta de lixo adequada.

Para as eleições do próximo dia 5 de outubro estão habilitados 141,8 milhões de eleitores em todo país, os quais deverão votar para presidente, senador e governador, além dos deputados federais e estaduais.

A partir de hoje também começaram a reger as regras impostas pela Justiça eleitoral, as quais determinam a participação em atos públicos, em meios de comunicação e peças propagandistas, enquanto as campanhas nos espaços concedidos no rádio e na televisão, no chamado horário eleitoral gratuito, começaram a partir do dia 19 de agosto.