Bolsa em 56.400; A Rússia vem?…

Nona alta

O Ibovespa subiu 1,63% nesta segunda-feira em sua nona alta consecutiva. O índice passou dos 56.400 pontos pela primeira vez desde maio de 2015. O bom humor nas bolsas internacionais ajudou novamente no resultado. Notícias de possíveis fusões favoreceram as negociações. Entre os destaques estão as ações da administradora de planos de saúde Qualicorp, que subiram 3,4% depois de sair na coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo, que a rede de hospitais Rede D’Or negocia, ainda em estágio embrionário, a compra da companhia. EXAME revelou, em sua última edição, que as negociações com a D’Or já haviam começado e terminado. Segundo o jornal Valor, os fundos Carlyle, GIC e CVC Capital Partners também negociam a aquisição. Agora vai?

_

Petrobras renasce?

O dia também foi positivo para as ações da Petrobras. Mesmo num dia de perda de mais de 1% no preço do petróleo, os papéis preferenciais da companhia subiram 4,8%; e os ordinários, 3,3%. Contribuiu para a alta um relatório do banco UBS intitulado Rebirth of the Phoenix (Renascimento da Fênix). Os analistas do banco suíço recomendaram a compra das ações preferenciais da estatal com um preço-alvo de 18,20 reais (o valor atual está em 11,55 reais) e os papéis ordinários com preço de 17,80 reais (valor atual: 13,66 reais). Jogam a favor da empresa uma provável alta nos preços do petróleo, a valorização do real, mudanças regulatórias e a nova gestão da estatal.

_

Oposição olímpica

Metade dos brasileiros é contra os Jogos do Rio, segundo o instituto Datafolha. O índice é o dobro do verificado na pesquisa anterior sobre o tema, feita em junho de 2013. Para 63% dos entrevistados, os Jogos vão trazer mais prejuízos do que benefícios para o país – ante 38% em 2013. Os cariocas estão (um pouco) mais otimistas – 47% acreditam que as Olimpíadas trarão mais prejuízos do que benefícios.

Ameaças no Rio 

Um quarteirão do bairro Leblon, no Rio de Janeiro, foi fechado na tarde desta segunda-feira devido a suspeita de bomba. Um homem deixou uma bolsa em frente a um edifício e saiu correndo depois de ser avisado pelo porteiro do prédio. O esquadrão antibombas foi acionado e verificou que se tratava de alarme falso. Na bolsa, que parecia lacrada após um voo, havia apenas roupas. Na Rocinha, uma granada foi encontrada perto de uma delegacia e de uma escola. Ninguém ficou ferido.

Muitas filas

No primeiro dia de regras mais rígidas de segurança para o embarque em voos nacionais, as filas tomaram conta dos aeroportos do país. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil, o novo protocolo deve adequar as práticas às adotadas internacionalmente e a adoção não tem a ver com a realização das Olimpíadas, daqui a menos de um mês. Com as demoras, a Anac recomendou aos passageiros chegarem ao aeroporto com uma antecedência de pelo menos 2 horas do voo. Nesta terça-feira, aeroportos como Congonhas voltaram a registrar longas filas nas primeiras horas da manhã.

Ainda dá

O deputado federal Eduardo Cunha ainda tem esperança de não ser cassado no plenário da Câmara quando as sessões retornarem em agosto. Ele conta com a falta de deputados para que não sejam alcançados os 257 votos necessários para a perda de mandato. Mesmo aliados de Cunha dizem ter constrangimento em votar publicamente a favor de Cunha, e uma saída seria não comparecer à sessão. Cunha já avisou diretoria da Câmara que deve deixar a residência oficial no domingo.

Matarazzo critica PSDB

O pré-candidato pelo PSD à prefeitura de São Paulo, Andrea Matarazzo, criticou seus ex-companheiros de PSDB João Dória, também pré-candidato, e o governador Geraldo Alckmin. Ele acusa Dória, com o apoio de Alckmin, de fazer propaganda irregular e comprar votos nas prévias realizadas pelo partido. Matarazzo também elogiou iniciativas tomadas pelo atual prefeito, Fernando Haddad, como as ciclovias, a redução da velocidade em algumas vias e o fechamento da avenida paulista para carros aos domingos.

Pena de morte na Turquia?

Após a tentativa de golpe militar na Turquia na última sexta-feira 15, o presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que poderá considerar a volta da pena de morte — abolida em 2004 como umas das reformas necessárias para as negociações da entrada dos turcos na União Europeia. Depois de os protestos pedirem a medida, Erdogan afirmou que a decisão deverá ser tomada “com base no que as pessoas dizem” e que o Parlamento deverá discutir o tema rapidamente, pois “aqueles que tentam um golpe devem pagar por isso”. Até agora quase 9.000 agentes federais foram removidos de seu posto por suposta participação no golpe. A União Europeia e os Estados Unidos criticaram as perseguições de Erdogan.

Doping na Rússia

O Comitê Olímpico Internacional avalia hoje se proíbe a Rússia de participar dos Jogos Olímpicos. Relatório divulgado nesta segunda-feira pela Agência Mundial Antidoping revelou que o esquema de doping na Rússia não beneficiou apenas o atletismo — como se pensava até então —, mas também uma série de outros esportes. As investigações mostram que o sistema transformava resultados positivos de doping em negativos por meio da troca de amostras de urina, sob supervisão do vice-ministro do Esporte russo, Yuri Nagornykh. Em entrevista concedida ontem, o ministro dos esportes do Brasil, Leonardo Picciani, disse que gostaria de ver a Rússia no Rio, mas que uma possível ausência não tira o brilho dos Jogos.