Dólar R$ 3,28 0,39%
Euro R$ 3,67 -0,04%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 0,95% 63.257 pts
Pontos 63.257
Variação 0,95%
Maior Alta 5,04% SMLE3
Maior Baixa -3,99% MRFG3
Última atualização 24/05/2017 - 17:20 FONTE

As frases que deram o que falar nesta semana – 6/1

O ano começa com um soco no estômago após massacre de presos revelar (sem surpresas) o caos dos presídios do país

São Paulo – A primeira semana de 2017 chegou como um soco no estômago ao evidenciar o caos do sistema carcerário nacional depois ao menos 93 presos foram mortos durante guerra entre facções em presídios do Amazonas e Roraima.

Os dias seguintes ao massacre foram marcados por um jogo de empurra-empurra entre governo federal e estadual e pelo silêncio de Michel Temer. O presidente só se pronunciou no quinto dia após o início da rebelião, com uma gafe ao classificar a matança como um “acidente pavoroso“.

Meio às pressas, o Ministério da Justiça adiantou o lançamento da apresentação do Plano Nacional de Segurança, com a promessa de fortalecer o combate ao tráfico de drogas e modernizar presídios.

Fora isso, tivemos o debute dos novos prefeitos pelo país, o início da campanha pela presidência da Câmara e do Senado. Veja um resumo das frases que definiram os últimos dias.

“Eu quero numa primeira fala, mais uma vez, solidarizar-me com as famílias que tiveram seus presos vitimados naquele acidente pavoroso que ocorreu no presídio de Manaus”, disse o presidente”

Michel Temer, presidente da República, cinco dias após massacre que matou 56 no AM. Em 5/1

 

 

Caixões com corpos de presos mortos em rebelião em Manaus deixando o IML

Caixões com corpos de presos mortos em rebelião em Manaus deixando o IML (Ueslei Marcelino/Reuters)

“Não tinha nenhum santo. Eram estupradores, matadores (…) e pessoas ligadas à outra facção, que é minoria aqui no estado”

José Melo (Pros), governador do Amazonas. Sobre massacre em presídio do estado. Em 4 de janeiro

“Isso tem uma questão muito mais profunda, que é a entrada de armas nas penitenciárias, em virtude da corrupção, e a possibilidade de presos perigosos ficarem submetendo, independentemente de facções, outros presos”

Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania, à Rádio Estadão. Sobre massacre em presídio do AM. Em 3 de janeiro
O novo prefeito de São Paulo, João Doria, se veste de Gari como gesto de sua campanha de limpeza da cidade no dia 02/01/2017

O novo prefeito de São Paulo, João Doria, se veste de Gari como gesto de sua campanha de limpeza da cidade no dia 02/01/2017 (Facebook/Reprodução)

“É a primeira [faxina] de muitas”

João Doria Jr, prefeito de São Paulo, ao ser questionado sobre se estava fazendo sua primeira faxina da vida na Praça 14 Bis. Em 2/1

“Fiz uma transição como se estivesse fazendo para um irmão”

Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, na cerimônia de posse de João Doria Jr. Em 1º de janeiro.
São Paulo - O prefeito eleito, João Doria recebe o cargo do ex prefeito, Fernando Haddad, durante cerimônia no Teatro Municipal

O prefeito eleito, João Doria recebe o cargo do ex prefeito, Fernando Haddad, durante cerimônia no Teatro Municipal (Rovena Rosa)

 

“Declaro que esta cidade pertence a Deus e que todos os setores da prefeitura municipal estarão sobre a cobertura do altíssimo”

Jairo Silveira Magalhães (PSB), prefeito de Guanambi (BA), em decreto irrevogável. Em 3/1